Tudo sobre: Tumores de Bainha Nervosa

Introdução

Tumores de bainha de nervos são neoplasias primárias de nervos periféricos. Os nervos periféricos são prolongamentos de neurônios que conduzem os impulsos nervosos. Existem dois tipos de neoplasias enquadradas nessa classificação, os schwannomas e os neurofibromas/ neurofibrossarcomas. Os schwannomas são tumores provenientes de células de Schwann e os neurofibromas são originados de células perineurais, porém como caráter diagnóstico, são classificadas apenas em tumores de bainha de nervo e podem receber graduação de um a cinco, sendo os números mais altos usados para tumores que demonstram comportamento mais maligno. Há patologistas que os classificam apenas em malignos ou benignos, de acordo com a agressividade que invade os tecidos adjacentes e com as características celulares que apresentam. 

Esses tumores podem se desenvolver em quaisquer regiões que possuam nervos, porém são mais comuns em nervos cranianos (quinto par), no plexo braquial, nas raízes dos nervos da região cervical e na região torácica cranial e em pele. Apesar de serem neoplasias pouco comuns, sua ocorrência é maior em cães do que em gatos, geralmente em cães de grande porte com idade variando entre cinco e 12 anos e parece não ter predileção entre machos e fêmeas. Em gatos a ocorrência é predominantemente em região de cabeça. Pode acometer bovinos e equinos de meia idade ou mais velhos. 

Transmissão

-Não se aplica

Manifestações clínicas

As manifestações clínicas estão sujeitas ao local de desenvolvimento da neoplasia, porém as queixas mais comuns são:

- Aumento de volume em região de plexo braquial ou em região de outros nervos

- Claudicação

- Dor

- Dificuldade de apoiar o membro acometido

- Incapacidade de permanecer em pé

- Hiperreflexia em membros

- Paresia

Diagnóstico

Associação de sinais clínicos e exame físico.

Exames que o médico veterinário pode solicitar:

- Eletromiografia

- Radiografia

- Tomografia Computadorizada 

- Ressonância Magnética

- Citopatologia

- Histopatologia

- Imuno-histoquímica

Observação: A realização e a definição de necessidade de exames complementares são decisões do(a) Médico(a) Veterinário(a). 

Tratamento

O tratamento consiste da excisão completa e com margens amplas, envolvendo inclusive amputação de membros e ressecção dos nervos envolvidos. Se o tumor for de baixa classificação, geralmente as excisões (remoção) amplas são curativas, sem necessidade de tratamentos complementares. Em casos de graduações mais altas, a reincidência pode ocorrer. Radioterapia e quimioterapia são indicados em alguns casos.

Prevenção

Não há como prevenir os tumores de bainha de nervo, o ideal é fazer visitas periódicas ao(à) médico(a) veterinário(a), ou se notar aumentos de volume ou nódulos no animal procurar imediatamente o serviço médico veterinário.

Referências Bibliográficas

SILVA, C.M.O. et al. Tumor maligno da bainha de nervo periférico em cães: relato de três casos. Arq. Bras. Med. Vet. Zootec., v.59, n.3, p.679-684, 2007.

ZACHARY, J.F. Sistema Nervoso. Em: Bases da Patologia em Veterinária. M. Donald McGavin, James F. Zachary. Ed elsevier, 4 ed., p. 963-964, 2009.

MORAILLON, R.; LEGEAY, Y.; BOUSSARIE, D.; SÉNÉCAT, O. Manual Elsevier de Veterinária. Diagnóstico e tratamento de cães, gatos e animais exóticos. 7 ed. Editora Elsevier Masson: Rio de Janeiro . p.1376, 2013.

HENDRIC, M. J. Mesenchymal Tumors of the Skin and Soft Tissues. In: Tumors in Domestic Animals. Donald J. Meuten. Ed John Wiley & Sons, Inc., 5 ed. P. 163-165, 2017.

BORDINI, C.G.C. et al. Tumor maligno da bainha perineural retrobulbar e intracraniano em cão: relato de caso. Arq. Bras. Med. Vet. Zootec., v.70, n.5, p.1355-1361, 2018

Recomendamos levar o seu pet a um médico veterinário para um diagnóstico preciso