Tudo sobre: Tumores do Plexo Coroide

Introdução

O plexo coroide é uma estrutura composta por um conjunto de vasos enovelados, encontrada nos ventrículos cerebrais e que, juntamente com o epitélio ependimário, produzem o líquido cerebroespinhal. Nesta região pode-se desenvolver neoplasias, sendo estas mais comuns em cães e raras em gatos. Também são raramente descritas em cavalos, caprinos e bovinos. 

Em cães os tumores do plexo coroide correspondem a cerca de 10% das neoplasias de sistema nervoso central e acomete animais de meia idade e idosos, sendo a média de seis anos de idade, e cães da raça Golden Retriever são os mais frequentemente relatados. Mestiços de Golden, Labradores e Boxers também apresentam relatos mais frequentes dessas neoplasias. Em gatos, dada a escassez de informações, não se tem dados epidemiológicos consistentes. Embora divergente na literatura, as neoplasias de plexo coroide não aparentam ter predileção por gênero.

As neoplasias de plexo coroide têm origem em células epiteliais e podem apresentar caráter benigno, sendo denominados papilomas, ou maligno, os quais são denominados carcinomas de plexo coroide. O quarto ventrículo cerebral é a área de maior incidência dessas neoplasias e metástases podem ocorrer em espaços subaracnóideos e em medula espinhal. Mesmo tendo uma variante benigna, esses tumores podem promover compressão do tecido cerebral, obstruir a passagem do líquido cérebro-espinhal e provocar hidrocefalia.

No exame de ressonância magnética, esses tumores apresentam lobulações e áreas císticas em seu interior. O prognóstico depende do tamanho e evolução dos tumores, porém geralmente é de reservado a desfavorável.

Transmissão

-Não se aplica

Manifestações clínicas

As manifestações clínicas dependem da região acometida e do tamanho da neoplasia. Dentre os sinais mais comuns pode-se notar:

- Alterações de consciência

- Depressão do estado mental

- Relutância à manipulação

- Convulsões

- Crises epileptiformes

- Dor cervical

- Incoordenação

- Pressionar de cabeça contra obstáculos

- Andar compulsivo

- Tremores de cabeça

- Hipermetria

Diagnóstico

Histórico, sinais clínicos, exame físico e neurológico.

Exames que o médico veterinário pode solicitar:

- Citologia (coleta intracirúrgica)

- Histopatologia (coleta intracirúrgica)

- Imuno-histoquímica

- Tomografia computadorizada

- Ressonância magnética

- Citologia do líquido cérebro-espinhal

Observação: A realização e a definição de necessidade de exames complementares são decisões do(a) Médico(a) Veterinário(a). 

Tratamento

O tratamento de neoplasias intracranianas tem por objetivo a redução do tamanho, retardar seu crescimento, realizar a retirada total do tumor, quando possível, além de controlar os efeitos dessas neoplasias que refletem na qualidade de vida dos animais acometidos.

Geralmente os tumores de plexo coroide são de difícil acesso, então a retirada torna-se muitas vezes inviável. Pode-se realizar tratamento quimioterápico, porém, historicamente não há muito sucesso. Resultados mais promissores são obtidos com radioterapia, que pode ser realizada em pré-operatório. Em humanos, a retirada de todo o tumor em bloco tem caráter curativo e aumenta a expectativa de vida, porém na medicina veterinária esse tipo de cirurgia ainda é pouco realizada.

Prevenção

-Não se aplica

Referências Bibliográficas

TORRES, L.F.B. et al. Tumores do Plexo Coroide. Estudo epidemiológico comparativo de 24 casos. Arq. Neuropsiaquia, v. 62, n. 1, p. 127-130, 2004.

HORTA, R.S. et al. Neoplasias Intracranianas em Pequenos Animais – Revisão de Literatura. Acta Veterinaria Brasilica, v. 7, n. 4, p. 272-281, 2013.

HIGGINS, R.J.; BOLLEN, A.W.; DICKINSON, P.J.; SISÓ-LLONCH, S. Tumors of the Nervous System. In:Tumors in domestic Animals/ Donald J. Meuten. Ed. Wiley, 5 eds., p. 861-863, 2017.

CHAVES, R.O. et al. Neoplasias encefálicas em 40 cães: aspectos clínico-epidemiológicos e patológicos. Pesq. Veterinária Brasileira, v. 38, n.4, p.734-740, 2018.

Recomendamos levar o seu pet a um médico veterinário para um diagnóstico preciso