Tudo sobre: Vasculite Cutânea

Introdução

A vasculite cutânea é uma inflamação da parede dos vasos sanguíneos, que pode ter vários motivos. Em sua maioria, relacionados com reações do organismo a estímulos. A vasculite pode acontecer após a utilização de medicamentos que desencadeiam reações de hipersensibilidade (alergias), assim como após a vacinação dos animais. A vacina anti-rábica pode provocar esse tipo de reação, assim como pode ocorrer (com menor frequência) em outros tipos de vacinas.

Podem ocorrer reações que desencadeiam uma vasculite cutânea após picada de insetos ou outros animais, mas principalmente como reação à presença de ectoparasitas, como pulgas e carrapatos e ainda pode acontecer em decorrência de alergia alimentar. 

Infecções por microrganismos, como bactérias e fungos, também levam o organismo a uma resposta inflamatória, que apesar de ocorrer como forma de defesa, pode vir a provocar uma vasculite. O lúpus eritematoso é uma doença que provoca vasculite cutânea nos animais e, em alguns casos, existe a dificuldade em determinar a causa, principalmente se o histórico do animal é desconhecido.

A vasculite cutânea em cães e gatos é incomum sendo bastante rara nos felinos.

Transmissão

- Idiopática

Manifestações clínicas

Os sinais podem ser observados por todo o corpo no animal, sendo eles:

- Eritema

- Edema

- Hiperqueratose

- Petéquia

- Prurido

- Alopecia 

- Descamação da pele

- Púrpura

- Pústula

- Anorexia

- Pirexia

- Necrose

- Ulceração de pele

- Miopatia

- Artropatia

- Acrocianose

- Dor

Diagnóstico

A causa da vasculite pode ser incerta. O(a) médico(a) veterinário(a) pode solicitar exames específicos de doenças infecciosas relacionadas e exames para a verificação do estado geral do paciente, dentre eles:

- Hemograma completo

- Biópsia cutânea

- Hemocultura

- Urocultura

- Urinálise

- Imunoglobulina A (IgA)

- Imunoglobulina G (IgG)

- Imunoglobulina M (IgM)

- Ureia

- AST – TGO

- ALT – TGP

- Fósforo

- Gama GT

- Creatinofosfoquinase (CPK)

- Fosfatase Alcalina (FA)

Observação: A realização e a definição de necessidade de exames complementares são decisões do(a) Médico(a) Veterinário(a).

Tratamento

O tratamento da vasculite cutânea deve ser principalmente baseado no tratamento da doença primária causadora da inflamação quando esse for o caso. 

Suspender medicamentos ou outras fontes que possam estar causando reação no animal e, nos casos em que não se sabe a causa da inflamação, o tratamento deve ser com foco na redução dos sintomas. Quando houverem lesões na pele, elas devem ser tratadas cuidadosamente até a total cicatrização, independentemente de tratamentos sistêmicos. 

No tratamento da inflamação, o(a) médico(a) veterinário(a) pode prescrever medicamentos anti-inflamatórios como corticóides ou outros imunossupressores e nos casos em que a suspeita é uma infecção, antibióticos ou outra terapia adequada à infecção associada podem ser utilizados. Sempre que se utilizam medicamentos imunossupressores (medicamentos que diminuem a imunidade do animal), cuidados com a saúde geral devem ser tomados pela facilidade de contrair doenças ou agravar quadros já existentes, portanto, uma boa alimentação, prevenção de ectoparasitas e ambiente não estressante são recomendados.

Prevenção

Por ter causas diversas e muitas vezes não identificadas, a prevenção da vasculite baseia-se no cuidado com a saúde do animal, como consultas regulares ao(à) médico(a) veterinário(a), controle de parasitas e nutrição adequada. Não utilizar medicamentos sem prescrição veterinária, principalmente quando esses forem de uso humano e, quando observado qualquer sinal clínico, procurar ajuda profissional.

Referências Bibliográficas

SILVA, Carmina Daniella Costa Ferreira da et al. Reações cutâneas após administração de tetraciclina em um cão: relato de caso. 2014.

SILVA, Isabel Antunes. Clínica de animais de companhia: dermatopatias isquêmicas em cães. Dissertação de Mestrado. Universidade de Évora, 2018.

Recomendamos levar o seu pet a um médico veterinário para um diagnóstico preciso