Tudo sobre: Vasculite Sistêmica

Introdução

A vasculite é a inflamação dos vasos sanguíneos, que quando acontece de forma generalizada no animal, é chamada de Vasculite Sistêmica. As causas da vasculite sistêmica podem ser infecção ou inflamação dos tecidos que ficam próximos aos vasos ou por lesões ocorridas na parede dos vasos sanguíneos.

Lesões nos vasos podem estar relacionados à presença de parasitos que causam reação de inflamação, eventualmente lesionando os vasos, ou por microrganismos causadores de doenças inflamatórias. O sistema de defesa do organismo (sistema imune), ao agir contra os agentes causadores de doença, provoca o processo de inflamação, onde ocorre a liberação de enzimas e células de defesa, que em grande número ou em períodos prolongados acabam ocasionando danos também aos tecidos do próprio corpo, e a parede dos vasos sanguíneos podem ser afetadas. Os danos causados podem se estender até o ponto de causar a necrose dos vasos (morte dos tecidos do vaso sanguíneo), podendo causar hemorragias.

Reações a medicamentos utilizados, principalmente pela via intravenosa, também podem desencadear um quadro de vasculite sistêmica, assim como reações vacinais e reações alérgicas.

Transmissão

-Não se aplica

Manifestações clínicas

Os sinais clínicos estão relacionados com a doença primária causadora da vasculite. Alguns sinais comuns encontrados são:

-Emagrecimento

-Letargia

-Linfadenomegalia

-Pirexia

-Dor

-Hifema

-Ulceração de pele

-Necrose de pele

-Linfadenopatia

-Alopecia 

-Descamação da pele

Diagnóstico

Avaliação de sinais clínicos e história do animal são essenciais para o diagnóstico.

Testes sorológicos para a definição da causa primária podem ser úteis. Exames que o(a) médico(a) veterinário(a) pode solicitar:

- Biópsia de pele

- Hemograma completo

- Albumina

- Imunoglobulina A (IgA)

- Imunoglobulina G (IgG)

- Imunoglobulina M (IgM)

- Ureia

- AST – TGO

- ALT – TGP

- Fósforo

- Gama GT

- Creatinofosfoquinase (CPK)

- Fosfatase Alcalina (FA)

- Urinálise simples

Observação: A realização e a definição de necessidade de exames complementares são decisões do(a) Médico(a) Veterinário(a).

Tratamento

O tratamento consiste principalmente em tratar a doença primária, ou seja, a causa do problema. Quando essa causa é uma doença infecciosa, o tratamento da doença e a diminuição da inflamação geral do organismo diminui também a reação nos vasos. Em alguns casos, onde a vasculite é causada por reações do tipo alérgica, pode ser mais complicado o tratamento, mas baseia-se na eliminação da fonte de irritação dos vasos.

Nos casos em que não se sabe exatamente a causa da inflamação, tratamento demasiadamente prolongado ou problemas imunológicos associados, podem ser utilizados corticóides e outros anti-inflamatórios para diminuição dos sintomas, mas a busca pela causa e o tratamento definitivo devem ser realizados assim que possível.

Prevenção

A utilização de medicamentos somente quando prescritos por um(a) médico(a) veterinário(a) responsável diminui as chances de reações medicamentosas que podem levar à vasculite. 

A prevenção das doenças infecciosas, em geral, bem como a prevenção de parasitas de forma geral também reduzem o risco de vasculite sistêmica, além de doenças infecciosas.

Referências Bibliográficas

HOFFMANN, Martina Lese. Calicivirose sistêmica em gatos. Trabalhos de Conclusão de Curso de Especialização. Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Faculdade de Veterinária. Curso de Especialização em Clínica Médica de Felinos Domésticos. 2016.

SERAFIM, Lucas Barbosa. LÚPUS ERITEMATOSO SISTÊMICO EM CÃO: RELATO DE CASO. 2018.

SILVA, Isabel Antunes. Clínica de animais de companhia: dermatopatias isquémicas em cães. Dissertação de Mestrado. Universidade de Évora. 2018. 

TORRES NETO, Rafael et al. Padrões histopatológicos das lesões descamativas e ulcerativas da pele em cães com leishmaniose. Semina: Ciências Agrárias, p. 667-676, 2008.

Recomendamos levar o seu pet a um médico veterinário para um diagnóstico preciso