Tudo sobre: Vírus da pseudoraiva

Introdução

A doença causada pelo vírus da pseudoraiva, também denominada “doença de aujeszky”, é uma afecção de acomete suínos em todo o mundo, sendo caracterizada por uma transmissão rápida entre animais e por gerar problemas reprodutivos nas fêmeas e alterações respiratórias e nervosas em leitões, resultando geralmente em morte dos mesmos. O agente é o herpesvírus suíno tipo 1, e o hospedeiros primário são os suínos domésticos e silvestres. Porém, esse vírus é capaz de infectar outros animais, tais como os gatos, os cães e os bovinos.

Ao infectar o animal, o vírus migra para os gânglios nervosos, podendo invadir o sistema nervoso central e resultar em encefalite (processo inflamatório/ infeccioso). O vírus também pode estabelecer uma infecção latente, ou seja, permanece na forma “não infecciosa” durante um período de tempo, porém em qualquer momento pode ser reativado. 

A doença de aujeszky pode resultar em morte repentina de cães e gatos e, na maioria dos casos, os animais diagnosticados apresentam histórico de viver próximo de fazendas ou criadouros de suínos e ter contato direito com porcos. 

O vírus causa diversos tipos de lesões no trato gastrointestinal, fígado, coração, pulmão, baço e sistema nervoso dos cães e gatos afetados. Porém, uma vez que os sinais clínicos são inespecíficos nesses animais, geralmente a doença de aujeszky não é considerada como diagnóstico diferencial, sendo negligenciada. 

Devido ao prurido intenso que o vírus da pseudoraiva resulta em cães e gatos, a doença é popularmente denominada como “coceira louca”. É importante notar, porém, que o prurido está presente geralmente em torno de apenas 17% dos animais infectados.

Transmissão

- Consumo de carne bovina/ suína contaminada ou miúdos não cozidos

Manifestações clínicas

- Aumento de salivação

- Depressão

- Letargia

- Taquipneia

- Dispneia 

- Pirexia

- Êmese

- Convulsão

- Prurido intenso

- Permanência em decúbito 

- Incoordenação motora 

- Sinais neurológicos 

- Desidratação

- Espasmos musculares 

- Nistagmo

- Diarreia

- Anorexia

- Perda do tônus da musculatura anal 

- Congestão das mucosas 

- Alterações comportamentais

- Automutilação

- Morte súbita

Diagnóstico

Histórico (contato com porcos, alimentação de carne bovina ou suína não cozida, contato com animais silvestres ou exposição a herbicidas, inseticidas ou outros produtos químicos utilizados em instalações de suinocultura)*

- Sintomatologia clínica

- Exame histopatológico de amostras do encéfalo (Post mortem - necropsia) 

- Reação em cadeia da polimerase (PCR)

- Isolamento do vírus

*Importante levar em consideração os possíveis diagnósticos diferenciais, como por exemplo raiva e intoxicação por organofosforados.

Observação: A realização e a definição da necessidade de exames complementares são decisões do(a) Médico(a) Veterinário(a). 

Tratamento

Não há relatos de tratamentos bem sucedidos em cães e gatos e geralmente os animais infectados vão a óbito rapidamente. 

Prevenção

Algumas medidas preventivas são a não administração de carne bovina ou suína crua para cães e gatos e evitar o acesso desses animais a fazendas ou criadouros. 

Como há relatos na literatura de cães de caça com pseudoraiva após ingestão de miúdos de porcos selvagens, o(a) responsável deve evitar que seu animal faça a ingestão de carcaças.

Referências Bibliográficas

HARA M, SHIMIZU T, FUKUYAMA M, NOMURA Y, SHIROTA K, UNE Y, HIROTA A, YAGO K, YAMADA H, ISHIHARA M; A Natural Case of Aujesky´s Disease in the Sog in Japan; May 1987.

HAWKINS BA OLSON GR. Clinical Signs of Pseudorabies in the Dog and Cat: A Review of 40 Cases; Iowa state university, Volume 47, Issue 2, Article 7, 1985.

SANTOS WRM, INFORZATO GR, MASSEI RA, PICCININ A, LOT RFE; Doença de Aujeszky: Revisão de Literatura; Ano VI - Número 10 - Janeiro de 2008 - Periódicos Semestral.

Recomendamos levar o seu pet a um médico veterinário para um diagnóstico preciso