Abissínio

ABISSINIO

ABISSINIO

Abissínio pertence a uma das mais antigas raças felinas,embora a sua verdadeira origem seja ainda um mistério. Talvez seja originário da Etiópia, antiga Abissínia, razão do seu nome. Infelizmente, não se descobriram vestígios de gatos “agouti” na Etiópia. No entanto, devido à sua semelhança como gato Sagrado do Antigo Egipto, perdura a lenda segundo a qual este animal teria nascido nas margens do Nilo. Com efeito,conta-se que Ramsés II teria pedido ao rei da Abissínia um grupo de gatos que levou para o Egito. Para além disso, podem ser observados gatos com uma pelagem semelhante à do Abissínio em África, na Eurásia e na Ásia, nomeadamente, o Felis Libyca, Gato selvagem ou gato com luvas de África, e o Felis chaus, Gato dos Pântanos ou da Selva. Contudo, a existência de gatos com uma pelagem malhada na Índia e na Ásia, torna mais plausível uma eventual origem asiática. O primeiro gato “Abissínio”, um gato com uma pelagem idêntica à de uma lebre, foi provavelmente, trazido da Etiópia por Robert Napier, tendo chegado à Grã-Bretanha em 1868. Batizado como nome Zula,foi exposto em 1871 no Crystal Palace  de Londres. A partir de 1874, passa a ser o tema de um estudo científico realizado por G. Stables. A raça, reconhecida em Inglaterra em 1882, foi fixada e apurada através de cruzamentos com o British Shorthair. O primeiro standard foi publicado em 1889 por H.Weir. O desenvolvimento da raça teve início nos Estados Unidos, antes de 1910. Foi reconhecida em 1917 pela C.F.A. Em 1926, foi criado o Abyssian Cat Club. Duas gatas, Aluna e Osira, nascidas em Viena, foram introduzidas em França em 1927. Nos anos 30, alguns criadores europeus concentraram-se na seleção do Abissínio.
Na sequência das duas Guerras Mundiais e da epidemia de leucemia felina, ocorrida 1960 e 1970, a raça quase desapareceu. Atualmente, o Abissínio faz parte das mais conhecidas e apreciadas raças de pêlo curto.

Um gato elegante e distinto, com olhos dourados.

CABEÇA
Cuneiforme , com contornos ligeiramente arredondados  sem faces planas. Fronte abaulada. Nariz de tamanho médio, nunca reto, sem quebra. De perfil, a cabeça apresenta uma curvatura suave. São permitidas faceiras nos machos adultos. Focinho não afilado, sem
“pinch”. O queixo é firme e bem desenvolvido, arredondado, nem esbatido nem proeminente.
ORELHAS
Grandes, largas na base e com extremidades ligeiramente arredondadas, moderadamente pontiagudas. Bastante espaçadas, posicionadas em estado de alerta, apresentam-se cobertas de pêlos curtos e acamados. É desejável a presença de uma marca nas costas da orelha (“marca selvagem” ou “marca de polegar”) bem como penachos nas extremidades.
OLHOS
Grandes, amendoados, bastante espaçados. Realçados por um traço fino e escuro da cor de base, por sua vez, orlado por uma coloração mais clara. Brilhantes, expressivos, com uma cor pura e intensa.Amarelo (ouro), verde e âmbar.
PESCOÇO
Bastante comprido, porte elegante.
CORPO
De comprimento e corpulência média, flexível,firme e musculoso. Caixa torácica arredondada. Dorso ligeiramente arqueado.
PATAS
Compridas, retas, finas, bastante musculosas. Pés pequenos, ovais, compactos. O gato parece manter-se na ponta dos pés.
CAUDA
Bastante comprida, larga na base, afilando progressivamente.
PELAGEM
Densa, cerrada, elástica ao toque, acamada. Pêlo curto ou de comprimento médio nomeadamente, na zona da coluna dorsal. Pelagem caracterizada por um “ticking” (duas ou três faixas de cor, alternando o claro e o escuro em cada pêlo e com a extremidade escura) semelhante à da lebre ou do coelho. O “ticking” não existe nos pêlos das zonas em declive (garganta, abdomen, face interna das patas) .
De entre as cores reconhecidas, podemos citar: Lebre (“normal” e mais tarde “usual” em inglês, “ruddy” em americano): riscas negras ou castanho-escuro num fundo alperce intenso. Couro do nariz vermelho tijolo, almofadinhas negras. Azul (blue) : riscas azul acinzentado forte num fundo bege intenso. Couro do nariz rosa escuro, almofadinhas cinzentas.
Sorrel: riscas chocolate num fundo alperce. Couro do nariz cor de tijolo, almofadinhas castanho chocolate.
Fawn: riscas cinzento rosado sobre um fundo bege. Couro do nariz e almofadinhas rosa escuro.
Vermelho (Red): riscas de um tom ruivo alperce alaranjado. Couro do nariz e almofadinhas cor-de-rosa.

Silver (Prateado): faixas tipo lebre, sorrel, azul ou fawn num fundo prateado.
O “ticking” só aparece nos gatinhos a partir da 6ª semana de vida.
OBSERVAÇÕES
Cruzamentos autorizados com outras raças: Somali.
DEFEITOS
Cabeça comprida (tipo Siamês) ou redonda. Orelhas pequenas ou pontiagudas. Olhos redondos. Corpo demasiado maciço. Pelagem baça, com textura aveludada.

Desqualificação: um medalhão branco ou presença de branco em qualquer parte do corpo, com exceção  das narinas, queixo e garganta

ASPECTO GERAL
Tamanho médio. Peso: 4 a 7,5 kg. Aparência aristocrática, de pequeno felino selvagem. Elegante, harmonioso. Tipo “Oriental”, com cabeça alongada (Abissínio inglês) e tipo “Europeu”, mais compacto e com uma cabeça mais globulosa (Abissínio americano). Pêlo curto, tipo “agouti”.

CARACTERÍSTICAS / PARTICULARIDADES: 
Gato muito ativo, extrovertido, brincalhão, extremamente curioso mas bastante equilibrado. Dotado de forte personalidade, é bastante independente, embora sociável, afetuoso, muito meigo e sensível, necessitando de muita atenção. Detesta a solidão. A devoção que manifesta ao dono é exclusiva. É muito comunicativo, mas os seus miados são muito discretos. A impetuosidade da
sua juventude vai-se atenuando com a idade. Este atleta e caçador  necessita de exercício e, portanto, de espaço. É aconselhável dispor de um jardim cercado. A sua manutenção é fácil. Bastará penteá-lo e escová-lo uma vez por semana. Durante a muda de pêlo é necessário eliminar regularmente os pêlos mortos. Para dar lustro ao pêlo deve utilizar-se uma camurça. Dois dias antes de uma exposição, se o animal colaborar, deve lavá-lo com um shampoo apropriado

 FONTE ENCICLOPEDIA DO GATO ROYAL CANIN

Sobre o autor

Dr. Marcio Waldman

Dr. Marcio Waldman

Medico veterinário, diretor e fundador do www.petlove.com.br. Formado em 1988 pela Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia da USP e pós graduado em latu sensu em odontologia veterinária, foi secretário geral da Anclivepa SP (associação nacional de clínicos veterinários de pequenos animais) e sócio fundador do Simpavet (sindicato patronal dos médicos veterinários). Atuou como clínico veterinário de pequenos animais de 1988 a 2005 em São Paulo, e em 2005 terminou a atividade na clinica para se dedicar exclusivamente ao Pet Love.

Deixe um comentário