Animais em apartamentos

Animais em apartamentos - Petlove - O Maior Petshop Online do Brasil

Animais em Apartamentos. – Todos os direitos reservados a André Pinnola (imagem)

Trazer um bicho de estimação para dentro de casa costuma ser um ato muito proveitoso, e uma ótima decisão. Caso o lar em questão seja um apartamento, a regra que deve imperar é a do bom senso. É preciso respeitar os vizinhos mais próximos, bem como os demais moradores do condomínio, além, é claro, de cuidar, atentamente, das necessidades do animal, seja qual for.

Por mais que se deseje e aprecie um cão de grande porte, não combinará com um apartamento. Chega a ser uma crueldade, uma prática covarde. Isso porque o bicho terá muito pouco espaço para se locomover, o que afetará sua liberdade. Consequentemente, outros problemas de saúde surgirão, como o stress, que pode fazer com que destrua móveis, aparelhos e objetos, e, inclusive, chegue a atacar as pessoas.

O ideal é optar por raças de pequeno até médio porte, de preferência dóceis e silenciosas, ainda que uma série de cuidados deva ser observada por parte dos donos. Maltês, Poodle, Yorkshire, Schnauzer, Fox Terrier, Pinscher, Dachshund, Lhasa Apso, Pug ou Pequinês constituem algumas das raças que mais se adaptam a um apartamento. Entretanto, mesmo que tais espécies tenham pequenas dimensões, promover confinamento desses animais à área específica, como varandas, ou áreas de serviço, os tornará infelizes. Passeios e exercícios diários em parques, praças, áreas verdes, são imprescindíveis à saúde e qualidade de vida. Brinquedos de roer, atividades divertidas e exposição a outros cães também são muito importantes. Toda a rotina, aliada ao carinho, atenção e companhia constantes, contribuem para dar mais tranquilidade e saúde ao amigo de quatro patas.

Além do cãozinho, há diversos outros bichinhos muito práticos para se ter dentro de um apartamento. Os gatos, muito higiênicos e independentes, convivem de maneira harmoniosa com seu dono. Necessitam apenas do básico: alimentação e água, além da caixa de areia. Brincadeiras e pequenas voltas do lado de fora os cansam e, consequentemente, os acalmam. Um fator muito importante que deve ser observado é o de que todas as janelas e varandas devem possuir telas para evitar que o  pet caia de determinadas alturas, fato muito comum de acontecer. Já os pássaros alegram com a sua música e peixes, em seus aquários, decoram o ambiente e passam tranquilidade, todos não necessitando de muitos cuidados. Os hamsters, inclusive, são uma opção que diverte, principalmente as crianças, com suas atividades.

Independente de qual seja o animal doméstico, os direitos dos outros condôminos devem ser preservados. Latidos, miados e uivos demasiadamente frequentes incomodam a todos. Normalmente, se o pet recebe a atenção e os cuidados devidos, isso raramente ocorre. Manter as unhas sempre aparadas evita ruídos no piso. Sempre se deve limpar os dejetos e procurar não deixar que estraguem plantas ou cavem buracos, enquanto passeiam em qualquer área externa. Ao utilizar o elevador de serviço, deve-se carregar o pet no colo, ou utilizar guias curtas na coleira, para que não se aproximem das pessoas.

É uma grande responsabilidade cuidar de um pet da maneira correta. Ao oferecer o apartamento como lar o dono não pode se esquecer de que será preciso compensar a falta de companhia de outros da mesma espécie, além de um espaço onde ele possa se exercitar, de forma que possa correr e brincar, garantindo seu desenvolvimento. E, o mais importante: adequar seu estilo de vida ao do seu pet, de forma a não ser negligente em relação às suas necessidades.

Sobre o autor

Bruno Oliveira

Deixe um comentário