Animais silvestes terão centro de reabilitação em SP

São Paulo vai receber até março de 2013 um dos maiores Cras (centro de reabilitação de animais silvestres) do país. O espaço está sendo construído dentro do Parque Anhanguera, na região de Perus, Zona Norte da capital.
A unidade vai ter um Centro de Manejo de Animais com laboratórios de análises e de taxidermia (arte de empalhar animais), necrópsia (exame de cadáver), centro de triagem de alimentação dos animais, 15 conjuntos de recintos para abrigo de animais silvestres nativos como mamíferos, aves, répteis, anfíbios e peixes, administração, diretoria e refeitório.

Segundo informações da bióloga Silvana Schirmer, o local está sendo adaptado para receber cerca de sete mil animais, mas não será aberto ao público. “A função do Cras é receber essa fauna machucada e reabilitá-la para voltar a viver na natureza”, diz, reforçando que o animal silvestre foi feito para viver solto e manter um animal dessa espécie em gaiola é crime ambiental.

No local também foi criado um auditório com o propósito de multiplicar os educadores dentro do centro. “O objetivo é a troca de experiência e de conhecimento entre universitários, biólogos e veterinários”, diz Silvana, que se dedica aos animais há anos.

O quarentenário é um prédio reservado para receber espécies apreendidas pela polícia ambiental. No local elas passam por uma bateria de exames antes de serem devolvidas à natureza. “O quarentenário funciona como uma triagem onde os animais afastados passam por procedimentos específicos para evitar a contaminação nos demais”, fala Juliana.

As obras do novo Centro de Manejo e Conservação de Animais silvestres iniciaram-se em 2006 e contam com outros diversos recursos, entre eles uma verba da venda de crédito de carbono e também termo de cooperação ambiental.

 

Fonte: ANDA

Sobre o autor

Dr. Marcio Waldman

Dr. Marcio Waldman

Medico veterinário, diretor e fundador do www.petlove.com.br. Formado em 1988 pela Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia da USP e pós graduado em latu sensu em odontologia veterinária, foi secretário geral da Anclivepa SP (associação nacional de clínicos veterinários de pequenos animais) e sócio fundador do Simpavet (sindicato patronal dos médicos veterinários). Atuou como clínico veterinário de pequenos animais de 1988 a 2005 em São Paulo, e em 2005 terminou a atividade na clinica para se dedicar exclusivamente ao Pet Love.

Deixe um comentário