Auto Bicamento das Penas

As penas têm diversas funções consideradas indispensáveis, como por exemplo a termorregulação e,  principalmente, o voo. São muitas as aves que sofrem com o auto bicamento, síndrome a qual é caracterizada pela arrancada das próprias penas, podendo levar à automutilação e, assim, ao aparecimento de ferimentos graves que impedem o nascimento de novas penas. Este problema atinge principalmente os psitacídeos (família dos papagaios) e os passeriformes (família dos canários), contudo, qualquer pássaro pode apresentar essa alteração de comportamento, principalmente aqueles mantidos em cativeiro.

Quando o auto bicamento é identificado, os veterinários e criadores têm dificuldade de identificar as causas do problema, pois são diversas as causas ligadas a essa síndrome, e, por isso, nem sempre o tratamento aplicado é o mais indicado e eficaz para o caso em questão. As causas mais comuns do bicamento de penas são: deficiência vitamínica e mineral, inflamações e infecções do folículo da pena por encravamento do bulbo, ectoparasitas como ácaro vermelho, ácaros de penas (Cnemidocoptes), sarna e dermatites micóticas e bacterianas.

Há também as causas psicológicas, que são: falta de companhia, tédio, medo, frustração reprodutiva, superpopulação, perda de companheiro de viveiro ou estresse por ruído de pessoas. Enfim, tudo isso pode causar esse comportamento nas aves. As áreas mais afetadas pelo auto bicamento das penas são as regiões do corpo em que a ave alcança com facilidade, como peito, dorso e asas. E permanecem intactas as penas da cabeça e pescoço, locais inacessíveis para a ave. Aves com este distúrbio crônico podem causar lesões irreversíveis nos folículos das penas, criando áreas definitivamente depenadas.

O tratamento depende do diagnóstico do que ocasionou o problema. O tratamento específico poderá incluir antibióticos, antifúngicos, anti-helmínticos, antiparasitários, anti-inflamatórios, analgésicos, anti-histamínicos, ácidos graxos como o ômega 3, suplementação nutricional, hormônio tireoidiano, antidepressivos, ansiolíticos e antipsicóticos. Em muitos casos, o resultado é frustrante, não se alcançando a cura definitiva.

É fundamental, no entanto, oferecer melhor qualidade de vida à ave acometida. Fazer o enriquecimento ambiental e reduzir fatores de estresse é muito importante, assim, deve se providenciar gaiolas e acessórios adequados. Além disso, manter a limpeza da gaiola de forma a garantir um ambiente limpo, iluminado e arejado garantirá, ao pássaro, um ambiente perfeitamente saudável. A aquisição de novas aves para companhia e reprodução também pode ajudar a resolver o problema nos casos em que a causa for psicológica.

Tanto o diagnóstico da causa, quanto o tratamento do bicamento de penas são difíceis de lidar. Sem contar que ainda exigem maiores gastos financeiros e também maior tempo disponível, no entanto, os donos devem estar cientes de todas as dificuldades e trabalhar em conjunto com o médico veterinário para garantir a melhor qualidade de vida para as aves de estimação.

Sobre o autor

Bruno Oliveira

1 Comentário

  • Prezado Bruno,

    Boa noite,

    Possuo um pássaro preto que vive arrancando as penas devido a ciúmes de outros pássaros… Não posso me aproximar dos demais que ele começa a cantar feito louco e quando me aproximo dele, o mesmo começa a querer bicar e quando não consegue começa a arrancar a penas… No que se refere a alimentação, utilizei todos os tipos acompanhado de frutas e legumes, porém ele não gosta muito, prefere somente as rações.

    Em razão disso, poderia orientar-me a respeito? Há algum calmante para pássaros com este comportamento? Lembrando que ele é muito manso, porém possessivo.

    Grato,

    Cordialmente,

    João Roberto

Deixe um comentário