Como Socorrer um Animal Ferido

Todo animalzinho ferido pode ser violento, não por crueldade, mas por estar acuado, assustado e não entender o que está acontecendo. Pode, por exemplo, ter sido atropelado ou ter apanhado de uma pessoa má. Quando esse bichinho é encontrado na rua, além do susto que teve quando foi ferido, tem medo de que a pessoa que o encontrou também vá machucá-lo.

Todos os direitos reservados a Eduardo Sousa fkr

Como Socorrer um Animal Ferido

A primeira coisa a se fazer é conversar com ele, falar com muita calma e ver como reage. Se o rabinho abanar é um bom sinal, e você pode se aproximar mais aos poucos, sem fazer movimentos bruscos. Assim que conquistar a confiança do animal, procure colocar uma guia com enforcador, e, se for possível, use também uma focinheira ou algum fitilho para prender a boca dele, a não ser que tenha algum ferimento no focinho, nesse caso o uso de focinheira não é recomendado.

Dessa forma ficará mais fácil de conter um possível ataque que possa ocorrer de repente, pois, devido a dor que sente, o pet pode tentar se defender com a mordida. Após realizar esses cuidados e conseguir manter a calma do animal, deve-se ligar para um veterinário. Caso não consiga controlar a agressividade do animal de maneira nenhuma, apenas chame um veterinário e aguarde-o junto com o bichinho.

Tente observar com mais detalhe o corpo do pet, verifique, por exemplo, se há fratura exposta, e se tiver, coloque uma compressa bem limpa sobre a mesma, para proteger de moscas até que o socorro chegue. Caso haja sangramento intenso, coloque um pano limpo sobre a região e pressione. Mas lembre-se de sempre observar as reações do animal quando for tocar nele, pois ele pode sentir dor e se debater para se defender. Se preciso, peça para alguém ajudar a segurá-lo, caso contrário, não conseguirá agir corretamente.

No caso de o bichinho ter sido ferido por outro animal, deve-se tentar evitar que se lamba no local machucado e levá-lo, imediatamente, para a clínica. Caso note que está cheio de espinhos na boca, de maneira alguma tente tirá-los, pois vai doer e o bichinho vai morder; já no veterinário será sedado e os espinhos retirados com segurança, sem que a saúde do animal seja prejudicada e sem que ele sinta dor durante o procedimento.

 Há um instrumento de contenção chamado cambão, que é um dos acessórios usados como alternativa, para cães muito bravos, porém, só deve ser usado por pessoas treinadas, pois é arriscado, tanto para o cão, que pode morrer enforcado com um cambão mal manuseado, quanto para quem esteja manuseando, que, se não souber usá-lo pode deixar o cão ainda mais feroz e acabar sofrendo ataque. Calma, tranquilidade e cuidado são essenciais para ajudar um cão ferido e que possa ser violento, e não há necessidade de correr riscos. Na dúvida de como agir em determinadas situações aguarde o médico veterinário, pois, se necessário, ele pode sedá-lo da forma correta.

Sobre o autor

Dr. Marcio Waldman

Dr. Marcio Waldman

Medico veterinário, diretor e fundador do www.petlove.com.br. Formado em 1988 pela Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia da USP e pós graduado em latu sensu em odontologia veterinária, foi secretário geral da Anclivepa SP (associação nacional de clínicos veterinários de pequenos animais) e sócio fundador do Simpavet (sindicato patronal dos médicos veterinários). Atuou como clínico veterinário de pequenos animais de 1988 a 2005 em São Paulo, e em 2005 terminou a atividade na clinica para se dedicar exclusivamente ao Pet Love.

2 Comentários

  • Olá, sei que esse não é o local para pedir ajuda, mas tenho um problemão. Minha tartaruga (cágado), sofreu uma mutilação grave na pata dianteira esquerda. Parece que foi comida por algum animal. O fato é que o ferimento está bem feio. O osso está exposto e a carne esta meio desfiada, triturada. Estou cuidando dela, porém não acho que vá resolver. Tb não tenho dinheiro para pagar um veterinário para fazer uma cirurgia. Eu mesma vou limpar aquela carne morta e dar uns pontos lá p ver se cura. Não tenho anestesia, sei que o bichinho vai sofrer muito, mas não tenho outra alternativa. Gostaria de saber se tem alguma outra coisa que posso fazer. Estou perdida nesse assunto. Tenho medo de ela acabar tendo uma infecção.

  • Minha cachorra da raça labrador foi ataca por um pit bull, quando ela chegou em casa ficou bastante agitada, mas não apresentou agressividade. Por sorte, ela sobreviveu. Ela precisou de vários pontos e medicação. Mas quando algo assim acontece é muito importante manter a calma.

Deixe um comentário