Quatro tipos de sarna que cachorros e gatos podem ter

Certamente você já deve ter ouvido falar sobre a sarna, que é uma das doenças de pele que mais afetam cachorros e gatos por aí. Existem três tipos de sarna principais que afetam nossos pets. Elas são causadas por infecções parasitárias, mais especificamente por ácaros, que provocam muita coceira nos animais, ocasionando várias feridas espalhadas pelo corpo.

Cachorro com sarna

A sarna sarcóptica é a mais comum em cachorros, sendo até mesmo conhecida como “sarna canina”. Ainda assim, ela também pode ser vista em gatos e transmitida para seres humanos (é uma zoonose). Por essa razão, é recomendado utilizar luvas de látex para ter contato físico com um animal infectado.

O ácaro responsável por esse tipo de sarna chama-se Sarcoptes scabiei. Ele provoca coceiras exorbitantes que formam crostas na pele, como se fossem cascas. Pode ser transmitido pelo contato direto – animal com animal – ou indireto – objetos ou lugares infectados. Neste tipo de sarna, o cachorro ou gato doente apresenta muita vermelhidão na pele e coceira intensa. Em humanos, ela é popularmente chamada “escabiose”. 

Também chamada de otocaríase ou simplesmente “sarna de ouvido”, o tipo otodécica é gerada pelo ácaro Otodectes cynotis, sendo mais popular em gatos do que cachorros. Ela pode ser transmitida pelo contato direto, indireto e por fômites (objetos), também podendo infectar seres humanos.

Assim como a sarcóptica, a sarna otodécica provoca coceiras excessivas e inflamação no ouvido, com um acúmulo de material bem escuro na região (parecido com terra). – Consulte um médico veterinário caso note problemas no ouvido do seu pet. A medicação por conta própria pode agravar o quadro e colocar sua saúde em risco.

Também chamada de sarna negra, a demodécica é originada pelo ácaro Demodex canis. Ela é mais comum em cães pelo fato desses ácaros já viverem na pele canina, mas a doença surge quando o sistema imunológico do cão baixa, e esses parasitas se reproduzem de maneira excessiva até que a doença apareça.

Essa é a única sarna que não é contagiosa, mas também não é curável. É muito comum que alguns cachorros peguem a demodécica durante o parto ou na amamentação, caso a mãe esteja infectada. Diferentemente dos outros tipos, ela não provoca coceira e, inclusive, alguns cães sequer apresentam sinais da doença, enquanto outros exibem feridas, pele mais grossa e enegrecida que podem resultar em perda da pelagem no decorrer da vida.

Por último, a sarna notoédrica, também chamada de escabiose felina, como o próprio codinome já entrega, afeta mais a população de gatos, mas os cães também podem ser acometidos. Ela é gerada pelo ácaro notoedres cati e também é transmissível para seres humanos mediante ao contato direto ou indireto.

Os sinais clínicos mais frequentes são lesões eczematosas, crostas de coloração amarela nas regiões da cabeça, orelhas e patas, pele enrugada e escoriações e automutilações.

Produtos para sarna 

Entendendo um pouco mais sobre os tipos de sarna, claramente não queremos que os nossos pets sejam infectados, não é mesmo? Além dos métodos de prevenção, que você pode saber mais em nosso portal de doenças, existem alguns produtos capazes de precaver, como o Antipulgas Zoetis Simparic, indicado para cachorros, que combate todos os tipos de sarna e pode ser utilizado em pets a partir de oito semanas de vida, que tenham pelo menos 1,3Kg. O Advocate Bayer e o Zoetis Revolution também são ótimas alternativas contra sarnas e outros problemas causados por parasitas que afetam cachorros e gatos.

Por mais que não sejam oficialmente indicados, estudos recentes mostram que os antipulgas e carrapatos Bravecto e Nexgard também podem ser utilizados para a prevenir e tratar alguns tipos de sarna nos cachorros.

Já para os gatos, existem as opções da Advocate Bayer, que ajudam no tratamento de todos os tipos de sarna, é de fácil aplicação e pode ser usado em felinos a partir da sétima semana de vida, e também da Zoetis Revolution, que pode ser uma boa opção no tratamento da sarna de ouvido (otodécica).

Compartilhe esta matéria!

Sobre o autor

Gabriel Arruda

É Jornalista, apaixonado por pets e esportes. Está sempre em busca de novos desafios, justamente pela curiosidade que o toma conta. Pai de um Beagle chamado Johnny, mais conhecido como "o Destruidor".

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.