Artesão transforma pneus velhos em caminhas para pets e realiza doações para animais necessitados

Morador de Campina Grande, na Paraíba, Amarildo Silva é dono de uma brilhante ideia que fez com que se demitisse de seu trabalho há um ano. O jovem de 24 anos montou seu próprio negócio para vender caminhas feitas para pets com pneus velhos. 

A ideia surgiu há dois anos quando Amarildo trabalhava como Operador de Caixa. Durante esse período, formou-se a ideia de procurar algo novo e, sabendo de seu gosto por transformar objetos, pesquisou na internet maneiras de como trabalhar com materiais descartados.

 

Em entrevista para a Petlove, o jovem conta que largar o emprego foi uma das decisões mais difíceis de sua vida, e que muitos colegas de trabalho o desencorajaram na época, alegando que a situação atual do País não seria o melhor cenário para apostar em ideias novas.

“Durante o período em que trabalhei como Operador de Caixa, surgiu a vontade de começar a procurar algo novo. Eu sempre gostei da parte prática, de transformar as coisa, mas eu nunca tinha feito. Com isso, comecei a pesquisar na internet, e aí vi algumas coisas que o pessoal faz com material reciclável. Eu sou apaixonado por isso”, conta. 

Além disso, Amarildo afirma que sua decisão foi totalmente correta, já que seu novo trabalho lhe traz um ótimo retorno, sendo muito acima dos valores de quando trabalhava como operador de caixa. Sua ideia trouxe, ainda, um reconhecimento que ele não imaginava, fazendo com que fosse chamado para participar de programas da TV Globo (“É de Casa” e “Pequenas Empresas & Grandes Negócios”).

A ideia chama atenção justamente por sua produção ser à base de material reciclável. Um estudo realizado pelo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (IPEA) mostra que são os trabalhadores que reciclam quase 90% do lixo do país, ou seja, o Governo tem pouca ou quase nenhuma participação. A história do jovem mostra o quanto esse material que é descartado diariamente pela população pode ser útil. Além de ajudar o planeta, traz um bom retorno financeiro. 

Com a boa procura de seus produtos, o artesão consegue realizar de três a quatro doações por ano para cães necessitados, mas o objetivo, de acordo com ele, é realizar mais caridades conforme for aumentando sua produção, sempre buscando ajudar os cãezinhos que estão nas ruas ou em abrigos à espera de serem adotados. 

Sobre o autor

Gabriel Arruda

Gabriel Arruda

É estudante de Jornalismo, apaixonado por animais e esportes. Está sempre em busca de novos desafios, justamente pela curiosidade que o toma conta. Pai de um Beagle chamado Johnny, mais conhecido como "o Destruidor".

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.