Catarata e Atrofia da Retina em cachorros

Aqui estou eu novamente trazendo mais uma experiência com a minha cachorrinha no veterinário. Filhos… Dessa vez percebemos uma anormalidade no olhinho dela e descobri que existem duas condições que podem comprometer a visão do cachorro e que são razoavelmente comuns: a catarata e a atrofia da retina. Vou explicar.

Como tudo começou.

A Sunny (minha cachorrinha da raça Coton de Tulear) tem os olhos bem pretinhos. Desde filhote, dependendo de como a luz bate, dá para perceber uma mudança de tom que pendia para o azulado. No entanto, de uns tempos para cá, essa cor mais azul pareceu ficar mais intensa, tanto que chamou a atenção de todo mundo aqui em casa. Como ela já tem 7 anos eu corri levá-la o quanto antes ao veterinário.

Chegando lá – olha que sorte- o especialista em oftalmologia tinha ido atender outro cachorrinho e ainda estava por lá. Então a Sunny já passou direto com ele.

A primeira impressão que o veterinário teve foi a de que ela estava mesmo com os olhos mais azulados, meio leitosos. Isso podia ser indicação de duas coisas: catarata ou atrofia da retina. Ele foi então fazer exames para averiguar melhor.

Apenas para já acalmar os ânimos a Sunny não tinha nada! Era apenas uma opacidade comum aos olhos dos cachorros que vão ficando assim com a idade (chamada esclerose nuclear), mas que não compromete a visão do animal. Ufa!

No entanto, vamos falar sobre as duas possíveis doenças citadas para ficarmos atentos.

 

APR – Atrofia Progressiva da Retina

Essa doença infelizmente ainda não tem cura e resulta na cegueira completa do animal. É de origem hereditária e pode aparecer em qualquer animal, independente da raça. No entanto algumas são mais propensas a manifestar essa condição como o Poodle, Cocker, Collie, Golden Retriever, Schnauzer e Dachshund.

Como o próprio nome diz nessa doença a retina é comprometida fazendo com que o animal vá perdendo a visão aos poucos.

Primeiro ele fica com dificuldade de enxergar no escuro e depois passa a também não enxergar no claro.

Sintomas e tratamento da atrofia progressiva da retina.

Essa doença não manifesta nenhum sintoma externo e por isso é difícil de perceber quando ela ainda está no início.

O que se observa é uma mudança de comportamento do animal perante ambientes com pouca luminosidade. Ele pode não te reconhecer em locais escuros, trombar com objetos e sentir-se perdido dentro da própria casa.

Além disso, percebe-se uma luminosidade diferente nos olhinhos do cão (já que a pupila fica dilatada) e às vezes uma diferença de coloração (como eu reparei na Sunny).

A doença afeta ambos os olhos e costuma aparecer até os cinco anos. Não existe uma regra de quanto tempo demorará para que o cãozinho fique totalmente cego, vai de animal para animal.

Apesar de não haver cura os cães podem se adaptar muito bem a essa condição já que o olfato, que já é apurado, fica ainda mais potente garantindo certa independência. No entanto a rotina do bichinho deve sofrer algumas alterações. Mantê-lo longe de piscinas e escadas, passear sempre de guia e retirar qualquer móvel ou objetos que possa machucá-lo se ele trombar.

Catarata

A lente dos olhos deve ser transparente permitindo a passagem de luz. A catarata faz com essa lente fique opaca impedindo a visão.

A catarata em cães ou gatos é igual a de humanos. Ela pode se dar por diversos motivos. O principal é a idade, mas pode surgir também por questões hereditárias (as raças propensas a APR também entram na lista da catarata), devido alguma infecção, trauma ou por diabetes.

 

Sintomas e tratamento da catarata

O principal sintoma é a mudança da cor dos olhos que passam a ficar azuladas ou esbranquiçadas num tom leitoso. Pode acometer os dois olhos ou apenas um.

A doença pode avançar até que o animal perca completamente a visão. Porém, tenho uma boa notícia: tem cura!!

Assim como nós humanos existe cirurgia para recuperar a visão do animal. Por mais que ela garanta uma média de 95% de melhora, já é mais do que suficiente para que seu amigo continue com a vida normal, né?

O único porém é que o pós operatório é um pouco delicado. Nos humanos o paciente deve permanecer as próximas horas praticamente imóvel, sem se deitar do lado do olho operado e nem fazer esforço. Mas vai falar isso pros peludos. Por isso as chances do aparecimento de uma infeção, por exemplo, não são tão baixas. Mas é só você dar uma atenção redobrada por alguns dias que ficará tudo bem.

Sobre o autor

Bruna Cela

Bruna Cela

Publicitária e aspirante a empresária. Mãe coruja da Sunny, daquelas que posta mil fotos no Instagram (como essa aí de cima). Ama tudo o que é relacionado a arte e a escrita é sua melhor ferramenta de expressão. Conversa com todos os pets que encontra pelo caminho e jura que, na maioria das vezes, eles respondem.

1 Comentário

Deixe um comentário

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.