Como os cães “medem” o tempo?

Será que o seu cachorro tem noção de quanto tempo você passa fora de casa, quando precisa ir ao supermercado? Ou ainda, pode ele ter ideia de quantos dias durou sua última viagem?

A maneira como os cachorros lidam com o tempo é um assunto pra lá de curioso e atrai a atenção de muitos cientistas e pesquisadores ao redor do mundo. Porém, apesar de inúmeros testes, pesquisas e experimentos, até o momento não foi possível chegar a uma resposta definitiva.

Cachorro-Petlove

A gente, que tem uma relação “apenas caseira” com os bichinhos, não tem muitas dúvidas de que eles sabem bem quando chega a hora de alguns afazeres do dia. A ansiedade em buscar a guia para passear ou ficar rondando o pote de ração denotam que os bichinhos têm clareza de que chegou a hora do passeio ou do almoço. Mesmo que eles não saibam acompanhar as horas no relógio. 

Estes exemplos poderiam ser justificados por conta da rotina a qual o animal já está acostumado, mas alguns pesquisadores acreditam que os cães possam ir além quando o assunto é compreensão do tempo. Por exemplo, os caninos podem entender que você está há muito tempo fora de casa e por isso sua chegada se aproxima.

Para estes especialistas, o olfato, sentido mais aguçado do pet, seria o instrumento que ajuda o peludinho a ter uma noção melhor do tempo. Então, assim que você sai de casa, seu odor permanece vivo no ambiente e o seu cão sabe que você esteve ali há poucos instantes, à medida que o tempo avança e esse odor enfraquece, o animal percebe melhor há quanto tempo você se foi e fica mais preparado para ouvir o barulho da sua chave girando na porta.

Achou curioso? Pois saiba que outros estudiosos acreditam numa versão diferente, de que o cachorro tenha uma noção de tempo graças a um mecanismo instintivo interno, que se utiliza de vários recursos, entre eles o olfato, para num processo bastante complexo oferecer ao peludinho uma compreensão melhor sobre o avanço das horas e dos dias.

Apesar das diferentes possibilidades, a maioria dos estudos sobre o assunto acaba indicando que, de maneira geral, os cães sejam menos sensíveis aos intervalos temporais quando comparados a outros animais como ratos, macacos e gatos, mas que podem, sim, se saírem muito bem nessa tarefa.

Como comentamos acima, tudo ainda gira em torno do campo das possibilidades, outras teorias existem e todas elas precisam avançar em estudo e pesquisas para chegarmos finalmente mais perto de uma resposta reveladora. 

O mais importante, enquanto a resposta não vem, é que você não deixe que seu cãozinho perceba sua ausência por longos períodos. Então, evite que seu bichinho se acostume com a solidão e dedique pelo menos alguns minutinhos do dia para brincar e passear com ele.

Sobre o autor

Anderson Mafra

Anderson Mafra

Jornalista apaixonado por animais, comunicação, música e não perde um concurso cultural (na verdade já perdeu vários). Curioso de mão cheia, quer saber sempre mais e compartilhar conteúdo, dicas e curiosidades do mundo pet. É um petlover assumido, sem chance de reabilitação.

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.