Cadastre-se e ganhe 20% OFF na primeira assinatura!

Formas diferentes de alimentar seu cão

Pode parecer meio óbvio: para alimentar o cão, basta colocar a comida no pote. Mas essa ausência de novidade pode trazer diversos problemas ao cachorro. Veja algumas formas diferentes para alimentar o peludo.

É absolutamente normal para nós comer todos os dias no prato. Colocamos a comida e comemos. Ponto e acabou. Por que que com o cachorro não pode ser igual? Quais os benefícios de oferecer a alimentação sem ser no pote?

cachorro salsicha comendo ração

Sabe aquela teoria de que comida fast food engorda ou que comer fora de casa faz com que a gente ganhe uns quilinhos? Não é somente pelo tipo de ingrediente, mas pela facilidade de chegar, pegar a comida pronta e comer rapidinho.

Se temos o trabalho de cozinhar, montar a mesa, colocar a comida no prato e guardar o resto para a próxima refeição, sabemos de todo trabalho. Assim, acabamos comendo menos (a maioria). Tudo está relacionado ao investimento investido naquela atividade.

Conhece uma criança que é ruim para comer, mas que basta colocar em uma aula de culinária que melhora o apetite? Isso também pode acontecer com os cães. Mesmo que ele não tenha mais interesse naquela alimentação, se for oferecida de uma forma divertida, o apetite aumenta.

Mas não é só para modular o apetite que devemos oferecer a alimentação em dispositivos e fora do pote. Nós temos desafios cognitivos o tempo todo. Seja para dirigir, para resolver um problema ou mesmo para fazer uma conta. Já os cães ficam deitados, sem fazer nada o dia inteiro, caçando coisas para se entreter (que pode ser o pé da mesa ou roubar o frango descongelando na pia).

Oferecer a alimentação fora do pote é propiciar atividades cognitivas, desafiadoras, que remetem a comportamentos naturais, como a caça e o forrageio (busca por alimento). Além de oferecer momentos mais longos em uma única atividade.

Como devo oferecer a comida do meu cachorro?

O céu é o limite para pensarmos em dispositivos e atividades que envolvam a alimentação. Mas alguns quesitos podem aguçar sua criatividade:

  • Se sua criatividade ou paciência e restrita, fique tranquilo. Temos infinitos dispositivos alimentares e brinquedos recheáveis para colocar a alimentação dentro disponíveis no mercado.
  • Pense em esconder a alimentação para que ele use o olfato. Colocar embaixo de móveis ou dentro de caixas pode ser uma ótima alternativa.
  • Mudar a textura congelando ou batendo no liquidificador já traz uma novidade.
  • Colocar dentro de algo que o cachorro tenha que bater para cair a alimentação (garrafa pet, balde, rolo de papel higiênico).
  • Misturar a alimentação com ervas aromáticas em um tapete, caixa ou jardim.
  • Elevar o local da alimentação.
  • Oferecer em comedor lento, caixas de ovo, escorredor de mamadeira, coisas que “atrapalhem” o focinho.
  • Ensinar truques e novos comandos e recompensar com a própria alimentação.

Se você preparou um dispositivo e seu cão ignorou, sinal que estava muito difícil. Na próxima vez, vamos oferecer algo mais fácil, que ele consiga resolver e ficar feliz. A vontade e a velocidade de comer estão diretamente ligadas ao nosso empenho e observação enquanto tutor. Mas se perceber qualquer alteração de comportamento ou falta de apetite, leve ao médico-veterinário.

Compartilhe esta matéria!

Sobre o autor

Luiza Cervenka

Luiza Cervenka é bióloga, com mestrado em Psicobiologia (comportamento animal), Pós-graduação em Jornalismo e doutoranda em Medicina Veterinária. Assina o blog Comportamento Animal do Estadão e tem quadro pet no Programa Revista da Manhã na TV Gazeta. Atende cães e gatos como Terapeuta Comportamental.

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.