Leucemia Felina (FeLV)

Fonte: petscao.com.br

Fonte: petscao.com.br

A Leucemia Felina (FeLV) é uma doença exclusiva dos felinos, causada por um retrovírus que provoca infecção permanente nos gatos. O animal pode se apresentar saudável, mas transmite a doença para outros gatos.

A maioria dos felinos expostos ao vírus não se torna doente, ele se recupera e se torna imune. Porém, em animais com o sistema imunológico comprometido, a FeLV se instala. As doenças causadas pelo FeLV envolvem tecidos linfoides e hematopoiéticos, podendo causa câncer e anemias graves.

Como a FeLV é transmitida?

O gato contaminado excreta o vírus por todas as superfícies epiteliais (pele), nariz e boca, transmitindo facilmente o vírus para outros gatos com quem tiver contato. A infecção está diretamente ligada à dose do vírus que o animal se expõe. Um animal que se expõe constantemente ao vírus tem maior chance de infecção permanente. Gatinhos de até 5 meses, quando infectados, também têm grande risco de infecção permanente. O vírus não é resistente a ponto de contaminar o ambiente (não é transmitido através de alimentos, cobertores, etc).

Sintomas da FeLV

Por ficarem durante anos assintomáticos, podem não manifestar sinais clínicos da doença. Pode haver episódios de gengivite e estomatite ao decorrer da vida. Porém, em algum período da vida, as consequências da doença aparecem: doenças malignas e não-malignas sérias e potencialmente fatais.

Doenças malignas – Linfomas e leucemias

Doenças não-malignas – Anemias, imunodeficiência (maior susceptibilidade às infecções oportunistas), enterite e insuficiência reprodutiva.

Diagnóstico da FeLV

Em alguns gatis e ONGs, o teste para FeLV e FIV (AIDS felina) é realizado como triagem antes do animal ser vendido ou doado, para que seu responsável tenha consciência de que o animal pode desencadear alguma das doenças acima citadas, além de evitar seu contato com outros gatos. Caso contrário, o diagnóstico é realizado quando alguma das doenças associadas aparecem.

Tratamento para FeLV

O tratamento é realizado baseado na doença que o FeLV desencadeou. No caso dos tumores (linfoma e leucemia), são realizadas sessões de quimioterapias. Já as anemias podem chegar a necessidade de transfusão sanguínea. Medicamentos imunoestimuladores e antiretrovirais são associadas ao tratamento.

Prevenção da FeLV

O FeLV pode ser prevenido mantendo os animais dentro de casa sempre que possível e evitando exposição a gatos novos sem a confirmação do teste. Mas o mais importante é vacinar seu gato. Filhotes a partir de 8 semanas devem receber duas doses, com intervalo de 30 dias. Caso seu gato tenha hábitos de passear na rua, a vacinação anual é de extrema importância.
www.centroveterinariocambui.com.br

 

 

Sobre o autor

Juliana Packness

Juliana Packness

Especialista em patologia clínica veterinária

4 Comentários

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.