Cachorro que se lambe de forma insistente

É relativamente comum que pais de cães se queixem de que seus pets se lambem muito. Mas por que isso acontece? Existem diversas causas possíveis para um cachorro que se lambe sem parar. Identificar a causa é importantíssimo para o tratamento correto – já que algumas alternativas que poderiam dar certo em um determinado caso pode até se agravar se o problema for de outro tipo.

Problemas de pele

Variados “problemas de pele” podem fazer com que os pets se lambam extremamente. Condições que causam incômodo, coceira ou ardência chamam a atenção do cão para o local afetado, que tenta aliviar o desconforto com lambidas insistentes.

A lambida pode, ainda, desenvolver uma doença típica: a dermatite por lambedura. De tanto passar a língua em um lugar, causa uma inflamação na pele, com perda de pelo, vermelhidão e até feridas.

Presença de parasitas

Pulgas e carrapatos sozinhos já podem causar feridas, mas quando o cão está infestado e acaba lambendo e coçando seu corpo, isso é ainda mais agravado. Partes do corpo que naturalmente possuem menos pelo (como a barriga, por exemplo), podem sofrer com mais frequência.

Manter seu cachorro sem parasitas é fundamental para sua saúde e qualidade de vida, afinal, deve ser bastante estressante sentir coceiras e bichos andando por seu corpo o tempo todo.

Causas comportamentais

Estresse, ansiedade e ócio são comumente “resolvidos” com lambeduras. Neste caso, é mais habitual que os pets lambam suas patas sem parar como uma forma de se ocupar ou de demonstrar sua insatisfação. Ficando úmida, essa região pode desenvolver com o tempo uma “pododermatite” (“dermatite dos ‘pés’”), algo chato e demorado de ser tratado.

O que fazer quando o cachorro se lambe sem parar

É fundamental conversar com um médico veterinário assim que notar que seu pet está se lambendo mais do que o normal. Vale lembrar que se lamber como forma de higiene (para se limpar) é algo comum aos animais de estimação e não deve ser repreendido. Aqui estamos falando sobre cães que se lambem muito e de forma anormal.

Ao identificar o que está fazendo com que o pet se comporte assim, é essencial fazer mudanças capazes de diminuir o problema. Se a causa for parasitas, por exemplo, é essencial fazer um controle no cachorro e no ambiente em que ele vive. Se doenças de pele estiverem envolvidas, é preciso realizar o tratamento conforme prescrito pelo médico do animalzinho, sem interrupções mesmo que a questão pareça ter sido sanada.

Causas comportamentais podem exigir um pouco mais de paciência e dedicação. Frequentemente é necessário fazer mudanças na casa, no local em que ele costuma ficar e o mais importante: deixar seu pet satisfeito como espécie, com atividades físicas e mentais, além de mantê-lo ocupado por mais tempo (mesmo quando você não está em casa).

Algumas atitudes dos tutores podem, sem querer, reforçar este comportamento. Evite fazer carinho ou dar muita atenção ao seu peludo nesses momentos – muitos deles fazem isso justamente para chamar a atenção e quando percebem que a conseguem com isso, intensificam o ato de lamber.

Sobre o autor

Jade Petronilho

Jade Petronilho

É jornalista por formação e comportamentalista veterinária por paixão. Desde criança é a "louca dos bichos", por isso resolveu estudar medicina veterinária, etologia e nutrição animal, mas ainda pretende, um dia, fazer zootecnia. Atualmente tem três cachorros, dois gatos e 13 peixes, mas além de cães, gatos e peixes, também já foi tutora de um coelho, três periquitos, dois porcos da índia, dois pintinhos e três cabritos.

Deixe um comentário

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.