Cachorros agitados não sabem se comunicar bem, revela estudo

Responda a esta pergunta: você é um pai ou mãe de cachorro que adora ensinar truques ao peludinho e procura incentivar a todo momento, com palavras e gestos, o seu cão a concluir a tarefa que lhe foi dada? Se a resposta for sim, melhor ler com atenção o que este estudo alemão tem a dizer.

Cientistas da Friedrich Schiller University, liderados por Melanie Henschel, pesquisaram o comportamento de cachorros que foram encorajados por seus humanos a darem informações sobre onde estaria escondido um objeto e descobriram que o incentivo constante (e exagerado) pode afetar negativamente o sucesso da tarefa.

Cachorro-Petlove

Muito estímulo pode ser prejudicial

Algumas raças caninas são naturalmente mais ansiosas do que outras, mas de maneira geral, mesmo os cães mais contidos em suas emoções tendem a não responder tão bem quando recebem estímulos em excesso para concluir um desafio, por exemplo, aprender um truque novo.

O experimento alemão reuniu 30 cachorros e seus humanos e aconteceu da seguinte forma: um por vez, cada cão foi deixado sozinho em uma sala, logo depois um pesquisador entrou no local e mostrou ao cachorro seu brinquedo favorito. Passada a euforia inicial, o pesquisador depositou o acessório em uma das quatro caixas que havia no ambiente.

Na sequência, o pai ou a mãe do pet entrou na sala para que os cientistas pudessem registar a reação do cachorro. Caso ele tentasse mostrar ao humano onde estava o brinquedo, os dois poderiam se divertir um pouco.

A pesquisa também contou com outra configuração, em algumas das vezes as caixas foram colocadas bem próximas umas das outras, exigindo dos animais uma precisão ainda maior para conseguir mostrar onde o brinquedo estava escondido. Além disso, alguns dos participantes foram orientados a estimular o seu pet (com palavras) para que o objetivo fosse alcançado.

“Os resultados sugeriram que os tutores de fato influenciaram a forma correta de exibição de seus cães, mas não necessariamente da maneira mais óbvia. Descobrimos que os tutores em geral afetaram negativamente a proporção de exibições corretas de seus cães. Em outras palavras: quanto mais os tutores empurram seus cães para mostrar a eles o brinquedo escondido, menos eles mostravam a caixa correta e mais mostravam qualquer caixa”, revelou o estudo. 

A hipótese levantada é que tanto a alta quanto a baixa excitação podem levar a um desempenho ruim do cachorro, o ideal segundo o experimento seria manter o cachorro equilibrado emocionalmente para que ele consiga cumprir as tarefas desejadas com maior eficácia.

“Ficamos surpresos que o incentivo aumentou os erros de exibição de precisão dos cães. Isso pode ter impactos no treinamento de cães e tratadores em campos onde os cães são profissionais de trabalho”, declarou Juliane Bräuer, do Instituto Max Planck para a Ciência da História Humana.

Vale frisar que o estudo é referente ao incentivo contínuo durante uma tarefa, mas que as felicitações e mimos após um desafio concluído, como fazer xixi no tapete higiênico, achar o brinquedo ou ficar onde está, continuam super bem-vindos e são essenciais para que tais comportamentos sejam repetidos pelo seu cachorro. 

Sobre o autor

Anderson Mafra

Anderson Mafra

Jornalista apaixonado por animais, comunicação, música e não perde um concurso cultural (na verdade já perdeu vários). Curioso de mão cheia, quer saber sempre mais e compartilhar conteúdo, dicas e curiosidades do mundo pet. É um petlover assumido, sem chance de reabilitação.

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.