A importância do chip para cachorro e da identificação na coleira

Já ouviu falar em chip para cachorro? O microchip para cães, diferentemente do que muitos pensam, não funciona como um GPS para rastrear o pet em uma possível fuga. Calma que nós vamos te explicar!

Médico veterinário lendo chip do cachorro

O que é chip para cachorro?

Como dito, essa ferramenta tecnológica não funciona como um rastreador. Existe um tipo de chip para cachorro com GPS, mas não tem a mesma funcionalidade e é usado externamente.

O microchip, que é do tamanho de um grão de arroz, serve para armazenar as principais informações do pet, como nome, espécie, sexo, cor, idade, raça e os dados do pai humano.

“Mas por que os dados do pai humano?” Simples, se o cachorro se perder e for levado para um local onde haja um leitor de microchip, como uma clínica veterinária, por exemplo, o médico veterinário pode acessar as informações do microchip e, posteriormente, entrar em contato com o humano.

Como funciona o chip para cães?

O microchip é colocado no cachorro com uma agulha hipodérmica, ou seja debaixo da pele, próximo ao pescoço. Para ter acesso às informações que ficam armazenadas em um banco de dados, é preciso ter um leitor específico de microchip.

Ao escanear o chip, o leitor mostrará o número do cão, que deve ser usado para acessar o banco de dados na internet e ter acesso às informações do cachorro.

Vale destacar que colocar chip no cachorro é um processo bem simples e não causa dor ou incômodo algum no pet. Ainda assim, apenas um médico veterinário deve realizar o procedimento.

Microchip = diminuição de casos de abandono

Embora não funcione como um rastreador, abrigos e ONGs do Mundo inteiro apoiam a implantação nos animais de estimação. Isso porque o pequeno aparelho dá a possibilidade de identificar o humano que praticar o ato de abandono. Fora a chance de evitar que cachorros que têm família sejam desabrigados.

Seja dito de passagem, várias cidades do País já adotaram a prática de microchipar cães e gatos em adoção. Em São Paulo, por exemplo, a Prefeitura realiza diversos mutirões para castração e microchipação gratuita, no objetivo de realizar o controle de natalidade e melhorar a qualidade de vida de cães e gatos.

Meu cachorro foi microchipado, e agora?

Depois que decidiu microchipar o cachorro, a única coisa que deve fazer para “manter” o aparelho em dia é sempre atualizar as informações salvas nele.

Além disso, o ideal é pedir ao médico veterinário de confiança para escanear o chip do cachorro anualmente para ter certeza de que ele está funcionando. 

Caso note que o cão esteja sentindo algum incômodo ou inchaço na região do pescoço após a implantação do chip, leve-o para uma avaliação com o profissional.

Microchip + identificação na coleira

Quer um conselho? Por mais que o chip para cachorro esteja sendo útil para encontrar cães desaparecidos, nada substitui a boa e velha identificação na coleira.

Isso porque a identificação na coleira facilita – e muito – para a pessoa que encontrou o cachorro. Ela terá apenas o trabalho de ler e ligar para o número do pai humano que está pendurado no pescoço do pet.

Logo, uma boa maneira de prevenir que o seu pet se perca e não volte nunca mais para casa é utilizando o microchip para cães e a identificação na coleira. Certamente essa dupla evitará ao máximo que o seu pet se perca e nunca mais volte.

Agora que você sabe a importância do microchip para cachorro, visite o Blog da Petlove para mais dicas sobre comportamento, saúde, bem-estar etc.

Sobre o autor

Gabriel Arruda

Gabriel Arruda

É Jornalista, apaixonado por pets e esportes. Está sempre em busca de novos desafios, justamente pela curiosidade que o toma conta. Pai de um Beagle chamado Johnny, mais conhecido como "o Destruidor".

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.