Como acostumar um gato com aves?

Alguns amantes de pets às vezes se veem em uma encruzilhada, pois eles têm aves em casa, como por exemplo uma calopsita, e apesar de muita vontade, ficam com medo de adotar um gatinho

O receio é que a chegada do felino doméstico represente motivo de preocupação constante com o bem-estar das aves, afinal, nós aprendemos desde cedo que os gatos adoram caçar os pássaros, não é verdade?

Gato-passaro-Petlove

Se você se identificou com esta situação e sonha em ter um gatinho em casa, tenho uma boa notícia para te dar: dá para influenciar positivamente a relação dos pets, de maneira que a convivência entre eles seja harmoniosa, porém, como tudo na vida, nada é 100% garantido. 

Socialização bem precoce

Apesar de algumas raças se adaptarem melhor com outros animais, como o Persa, Exotic Shorthair, Ragdoll, Tonquinês, e Sagrado da Birmânia, qualquer gato é passível de passar a ver uma ave como amiga e não como presa, desde que a socialização comece bem cedo e seja caprichada.

O caminho mais indicado é adotar um filhote e acostumá-lo a interagir com a(s) ave(s) da residência quando o peludinho tiver entre duas a nove semanas de vida. Este é o período indicado porque é nele que o gato filhote começa a se identificar como espécie e também a construir suas primeiras relações, então nada melhor do que apresentar os outros pets da casa e incentivar uma relação saudável.

Nesta fase, principalmente, é muito importante tomar bastante cuidado para que a ave não trate o gato com animosidade, pois um conflito pode fazer com que o bichano passe a ter medo de uma nova aproximação e, à medida que ele crescer, vai se sentir mais confiante e corajoso para revidar as ameaças.

Infelizmente, às vezes o instinto felino pode falar mais alto e o gato, mesmo que numa brincadeira de caçar, possa amedrontar ou colocar a ave em risco. Por isso, faça uma aproximação cuidadosa dos bichinhos e supervisione sempre o contato dos dois. 

Aposte numa socialização precoce e tome bastante cuidado para não forçar a barra. Lembre-se que assim como nós, os pets também podem ter suas preferências nas relações e o “santo não bater” com algum outro animal.

Peça ajuda a um médico veterinário especializado em comportamento felino sempre que precisar. Ter pets que sejam realmente camaradas é o ideal, claro, porém, o mais importante é que cada animal possa se sentir seguro e feliz dentro de casa

Sobre o autor

Anderson Mafra

Anderson Mafra

Jornalista apaixonado por animais, comunicação, música e não perde um concurso cultural (na verdade já perdeu vários). Curioso de mão cheia, quer saber sempre mais e compartilhar conteúdo, dicas e curiosidades do mundo pet. É um petlover assumido, sem chance de reabilitação.

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.