Como separar uma briga de cachorros

Pode ser que você nunca passe por isso. Mas também pode acontecer de o seu cachorro se meter em uma briga, ou ainda de você presenciar dois cachorros brigando na rua. Como bons amantes de animais que somos, nunca presenciaríamos um animal se machucando e não faríamos nada, certo? Separar uma briga de cachorros pode ser arriscado, por isso é importante conhecer algumas medidas que te permitirão separar os dois brigões com o máximo de segurança e evitar que uma tragédia aconteça.

Evitando as “tretas”

Separar uma briga de cachorros é uma experiência da qual você espera nunca ter que passar. Por isso, a melhor maneira de evitar isso é com a prevenção. Os cachorros apresentam alguns sinais quando estão incomodados ou nervosos com a presença de outro animal.

Pelos eriçados, rosnados, dentes a mostra, corpo enrijecido e a cauda baixa. Se presenciar essa atitude no seu cão ou em algum outro cachorro, é hora de dar meia volta. Afastar os dois animais e tirá-los completamente do campo de visão um do outro.

Animais do mesmo sexo costumam se enfrentar mais. Dois machos brigam por dominância. Duas fêmeas brigam por pura rivalidade (essas brigas podem ser extremamente violentas no mundo animal). Já um macho e uma fêmea, por haver diferença de força entre eles, a briga pode ser mais fácil de separar. No entanto, em uma briga entre cachorros, uma mordida num local específico pode ser fatal, por isso não podemos bobear em nenhum dos casos.

Como separar uma briga de cachorros

Caos instaurado. Você está diante de dois cachorros que estão brigando. Eles rosnam, mostram os dentes e se mordem. A primeira reação que você tem é a de ficar extremamente nervoso e puxar um dos cachorros (ainda mais se um dos brigões for seu filho peludo). Pois essas atitudes são as piores que você poderia ter numa situação dessas. O que você deve fazer:

Manter a calma. Os animais são muito sensitivos e ter mais um ser angustiado no meio de uma briga só vai aumentar ainda mais a tensão.

 Faça barulho. Muito barulho. Bata palmas, bata os pés, use latas ou potes para fazer um estardalhaço e tirar o foco dos cachorros deles mesmos. Evite, no entanto, gritar. Sua voz vai aumentar a tensão. Ruídos serão muito mais eficazes.

 JAMAIS bata ou chute o cachorro. Violência gera violência e você só vai aumentar ainda mais a raiva do animal, fazendo com que ele fique mais agressivo com o outro animal e com você mesmo.

 Jogue água. Água não machuca, não estressa, mas costuma assustar os animais. Uma mangueira, uma garrafa de água ou o próprio pote de água do seu cachorro que esteja do lado serve para você mudar o foco da briga. Jogar água nos cachorros fará com que eles se separem momentaneamente levados pelo susto e assim, você terá condições de afastar os cachorros.

 Você deve separar os cachorros para que tenha condições de tirá-los do campo de visão um do outro. Por isso, use algum objeto (resistente) para colocar entre eles. Vale qualquer coisa: uma vassoura, lixeira, um galho… desde que seja grande o suficiente para que sua mão não chegue perto da zona de conflito.

 Se o cenário for muito feio e você perceber que um dos cachorros mordeu o outro e não quer soltar, pegue as patas traseiras do animal e levante ele. Mas seja bem rápido nesse movimento, ou o cachorro pode acabar te mordendo.

 Nunca puxe a coleira do cachorro. Na hora de uma briga o animal está levado pelo instinto e ele só vai perceber quem é “amigo” e quem é “inimigo” depois de já ter avançado. Por mais que você conheça muito bem o seu animal e saiba que ele é manso, não chegue perto dos dentes afiados de dois cachorros brigando.

Depois da briga

Assim que conseguir separar os encrenqueiros, você deve levar o animal ao veterinário. Mesmo que superficialmente ele não apresente nada além de um arranhão, é bom verificar se os órgãos internos estão intactos ou mesmo ter a certeza de que seu cão não teve nenhuma fratura.

Sobre o autor

Bruna Cela

Bruna Cela

Publicitária e aspirante a empresária. Mãe coruja da Sunny, daquelas que posta mil fotos no Instagram (como essa aí de cima). Ama tudo o que é relacionado a arte e a escrita é sua melhor ferramenta de expressão. Conversa com todos os pets que encontra pelo caminho e jura que, na maioria das vezes, eles respondem.

10 Comentários

  • Tenho dois srd’s de pode grande que não podem se olhar pois disputam o território.
    Quando se pegam é um desespero, já tentei água, spray prata (só chachoalhando, não esguichando) que eles odeiam, tentei colocar uma cadeira entre eles, puxei (com segurança) o rabo, mas nada adiantava. O que ajuda realmente é jogar um pano que os cubra, pode ser uma coberta, um lençol, de preferência escuro. A reação deles é largar pois eles ficam desorientados. Gente, é horrível de ver. Estou lendo de tudo, técnicas para que os dois “façam as pazes” mas já resolvi castrar. Não é 100% garantido mas pode ajudar. Não esqueçam da técnica do pano. Foi a única coisa que resolveu no meu caso.

  • Tenho duas cadelas,e as duas deram cria com diferença de 10 dias uma pra outra,logo que a ultima teve a cria a outra foi cheirar os filhotes ai derepente elas começaram a brigar,foi horrivel nunca fizeram isso.consegui separar mais agora elas nao podem se ver que ja querem brigar,so de uma latir a outra ja fica rosnando. Nao sei mais oq faço mais pra elas ficarem em paz novamente.coloquei uma proteçao pra separar elas,mais tenho que trabalhar estou com medo de chegar do servico e uma delas estiver morta. Oq eu faço???

  • Acabei de passar por uma situação destas. Experiência difícil viu. Mas cresci com ela. Amo meus cachorrinhos… aliás, amo a todos os animais. Então, tem uma cachorrinha de um rapaz que mora em frente a casa de meus pais, que é muito especial… gosto muito dela, muito carinhosa comigo, sempre que me vê sai de onde estiver e vem correndo até a mim. O local onde ela vive é muito apertadinho, o rapaz gosta dela e tenta ser um bom tutor, mas, tem um ponto muito ruim, ela fica muito solta na rua. Hoje passeando com dois pequenos que tenho, no finalzinho do passeio, já chegando em casa, parei com eles para acariciar a face do grande, um outro que tenho, pelo muro, por que quando eles estão perto, se estranham. Nisso que distraí olhando o grande… a cachorrinha da rua me viu e veio em minha direção, nesse meio tempo, os dois que estavam comigo na coleira começaram a se desentender e a cachorrinha que chegou também, então começou uma briga entre um dos meus e a cachorrinha que chegou até nós. Elas trocaram algumas tentativas de mordidas até que a minha travou a mandíbula na orelha da outra cachorrinha, que me olhava como que pedindo socorro e gritava muito em dor. Eu fiz tudo diferente de tudo o que vc aconselhou e concordo com vc., foi muito perigoso. Eu coloquei as mãos na boca da minha cachorrinha e forcei até abrir, nisso, a outra saiu correndo. Saí bastante arranhado e com algumas mordidas, mas percebi que nenhuma das mordidas foram daquelas que permanecem, então, foram com furos superficiais. Um dos dedos ficou com a ponta dormente mais tempo, por que acho que foi o que mais forçou um dente mais afiado. Meio que forcei o pulso direito também e entre as dentadas, acho que foi uma no pulso direito, outra no braço esquerdo e uma na parte de trás da coxa direita. Também arranhei o joelho direito que me abaixei pra separá-las. Tomei um remédio pra dor por causa do pulso, mas estou super bem fisicamente. Assim que acabou, consegui levar os meus dois pra dentro da área de casa e fui atrás da outra cachorrinha bem alterado, preocupado com ela, de haver acontecido algo mais grave. Incrivelmente, não vi um corte, uma gota de sangue em nenhuma delas. Agora vou contar algo que talvez não faça parte do entendimento de alguns dos que virem a ler este texto, mas, algo que penso seja muito importante dizer. No momento em que me vi ajoelhado, tomando algumas dentadas, na incerteza de saber, se não poderiam piorar as coisas… mas, meu amor pelos animais não me deixava abandonar aquela situação e tentar finalizar aquele momento sem nenhuma sequela pra nenhuma das duas, nem pra mim. Num momento de quase desespero… Chamei por um espírito, que conheço por protetor dos animais na terra junto a São Francisco de Assis, seu nome é Cernunnos, então mentalizei: Cernunnos… vc vai deixar isto acontecer!!! Me ajuda. E poucos segundos depois foi quando consegui abrir a boca de minha cachorrinha. Depois de tudo que aconteceu, sei que foi muito perigoso, mas, eu nao tinha água por perto, nem havia me preparado pra uma situação destas com informações de segurança como estou fazendo agora, apenas encarei a situação de frente e tentei salvar as duas. Gostaria de deixar aqui uma chamada, algumas palavras que utilizo pra pedir ajuda em favor dos animais, sempre que vejo uma situação que requeira. Assim eu digo: “Das 3 luas das 3 damas… ao cervo branco ao qual chamo Cernunnos, peço em favor deste animalzinho (Nome ou Características quando não souber o nome.) Nesta situação (Cite a necessidade do animalzinho) de sua proteção-restabelecimento-saúde-felicidade-que encontre uma lar com pessoas que o amem e o protejam e por aí vai. Em Cristo Jesus. Então depois de ver e me certificar que nenhuma delas havia se ferido, tomei um banho quente e agradeci a Cernunnos e a Providência Divina. Abraço a todos vcs e a seus animaizinhos.

  • Meu Yorkshire foi pra cima do meu outro cachorro grande( que é tranquilão ), o York não soltava nem com água o grande ! Deu tempo de eu pegar o York bem rápido na hora que o grande saiu correndo e ele soltou um pouco ! Mais não adiantou jogar água, isso que eu joguei muita água ! Yorkshire pequininho brigão! Kk tá loko

  • Criei meu Basse dashhound de 7 anos com uma buldogue americano fêmea que foi criada por ele. Morávamos em um condomínio sem muros e eles viviam dentro de casa em paz como irmãos.
    Ao mudar para uma casa murada e com quintal pensando no buldogue que cresceu muito rápido, ao fazer 8 meses ela acordou tentando matar o irmão sufocado. Achei que era brincadeira até que ele desmaiou. Por 5x ele ficou internado pois ela tentou matar por asfixia. Não sei se propositalmente ou se o cão realmente muda a personalidade assim.
    Agora ela que pesa 50kg mora no quintal por escolha dela e ele com trauma não sai do quarto. Quando ela está presa para passear ele vai na rua solto todo feliz ao lado dela.
    Não entendo o que aconteceu e gostaria de resolver.
    Adestrador no meu bairro cobrou 4 mil e só ela gasta mais de dois pacotes de ração ao mês, fora frutas, legumes e frango.
    Realmente preciso de ajuda urgente! Amo os dois e não quero abrir mão de nenhum

  • Já passei por brigas de minhas duas cadelas, irmãs que sempre estiveram juntas. Foi terrível! Muito sangue por todo lado e não conseguia separa-las. Cheguei a jogar um vidro de vinagre para ver se acalmava ambas. Nada dava certo. Tentei puxar as pernas de uma delas, nada dava certo. E elas se engalfinhando e os dentes uma na outra, pelo quintal a fora. Sorte foi que chegaram perto da torneira onde estava a mangueira. Esguichei água nas duas e só assim consegui separa-las! Peguei uma no colo e a trouxe para dentro de casa para limpar o sangue…Já aconteceu tres vezes. Minha filha disse que nos EUA, se isto acontece, os cachorros devem ser sacrificados. Agora faz um bom tempo que brincam e não se agridem a este ponto. Porque, convenhamos, é uma situação estressante demais para todos. Foi simplesmente terrível!

    • Mantenha elas separadas , sua atitude de jogar água foi a melhor ; coloque panos , coberta de uma na caminha da outra e vice-versa. Tenha calma, os animais percebem o nosso nervosismo e isso só atrapalha.

Deixe um comentário

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.