Desverminação em cães e gatos

As verminoses são um dos problemas mais comuns encontrados em cães e gatos de todas as idades. Os animais podem ser afetados logo após o nascimento através da mãe, ou ao longo de sua vida e os sintomas irão variar de acordo com a idade do animal, tipo de parasita e a quantidade do parasita presente no organismo. Os sintomas mais comuns apresentados pelos animais afetados são: falta de apetite, retardo no crescimento dos filhotes, perda de peso, fraqueza; aumento de volume e dor abdominal, pelos opacos e eriçados; comprometimento no aproveitamento dos nutrientes, diarreia, vomito, anemia, reações alérgicas e, nos casos mais severos, inclusive a morte. Além de afetarem os animais, alguns vermes de cães e gatos podem parasitar o homem e serem a causa de doenças. Os parasitas infectam principalmente crianças, pois ao levarem a mão à boca podem ingerir material contaminado. No homem, esses parasitas podem provocar lesões no sistema nervoso central, fígado, baço e dermatites, dependendo do verme e órgão afetado.

Desverminação em cães e gatos

Desverminação em cães e gatos

A prevenção e combate as verminoses é fundamental para a saúde dos animais e dos proprietários, por isso é importante o acompanhamento periódico do Médico Veterinário. Somente o profissional saberá avaliar de forma correta as condições do ambiente em que o animal vive e determinar a frequência com que a desverminação deve ser feita, e quais vermífugos devem ser utilizados. Além disso, o profissional também poderá solicitar exames complementares para verificar a infestação e a eficiência do medicamento utilizado. Para prevenir que filhotes sejam afetados ao nascerem, as fêmeas devem ser vermifugadas após o cruzamento e 10 dias antes do nascimento dos filhotes. Aos 15 ou 20 dias, os filhotes podem receber a primeira dose do vermífugo.  Os animais também devem ser vermifugados antes da vacinação, para não comprometer a imunização. A escolha do vermífugo depende do hospedeiro e a dose varia de acordo com o peso do animal. A idade e estado fisiológico também são fatores importantes e devem ser analisados antes da escolha do medicamento. A profilaxia é a melhor forma de evitar que o animal de estimação seja afetado. O cão ou gato deve ter o  acompanhamento do Médico Veterinário para o programa de vermifugação ser realizado de maneira correta. O profissional poderá informar ao proprietário as formas adequadas de limpeza do ambiente em que o animal vive, o correto destino das fezes e desinfecção do piso.

Sobre o autor

Bruno Oliveira

Deixe um comentário