Doberman é bravo?

Nos meus tempos de criança, a fama de cachorro com pavio curto e nada amigável com estranhos recaia principalmente sobre três raças: Pastor Alemão, Rottweiler e o Doberman. Nas casas que tinham um destes três cachorros, o pessoal costumava passar bem longe do portão.

Naquela época, era muito comum os cachorros ficarem presos e serem incentivados pelos humanos a espantar qualquer pessoa ou animal que se aproximasse. Nestas circunstâncias, qualquer cachorro já tenderia a ser mais agressivo e intolerante, que dirá os considerados cães de guarda, que instintivamente buscam proteger o seu território. Por isso, a má fama acabou colando mais nessas raças que foram citadas.

Doberman-Petlove

Ainda bem que os tempos são outros, que a nossa relação com os cachorros tem amadurecido cada vez mais e hoje muitos pets levam uma vida completamente diferente (e mais feliz) do que há alguns anos. Mas, será que mesmo com uma criação diferente o Doberman é considerado um cachorro bravo?

Depende sempre de nós

Na nossa página de raças você encontra informações bem interessantes sobre diversos cachorros, inclusive aspectos sobre o temperamento de cada um. No conteúdo sobre o Doberman você ficará sabendo que, naturalmente, os cães desta raça são mais vigilantes, alertas e reservados com estranhos, já que têm um perfil de guarda e instintivamente irão proteger suas família e o seu território de qualquer possível ameaça.

Porém, é sempre bom lembrar que a maneira como socializamos (ou deixamos de socializar) os cachorros impacta profundamente o temperamento, os hábitos e o estilo de vida dos nossos pets. Principalmente quando ainda são filhotes, momento em que estão aprendendo muitas novidades e moldando seu jeito de ser, os cães podem ser educados para agirem de diferentes formas, inclusive, para serem mais tolerantes e receptíveis com outros pets e pessoas.

Claro que cachorros grandes e fortes como o Doberman deixam qualquer um mais ressabiado numa primeira aproximação, mas é perfeitamente possível receber as visitas em casa sem qualquer tipo de estresse, seja para nós ou para o próprio cachorro. O segredo sempre está na forma como o cão foi educado pela família humana.

Não esqueça, porém, que toda interação entre humanos e pets deve ser sempre supervisionada, principalmente quando há crianças envolvidas, pois mesmo durante as brincadeiras, tanto um quanto ou outro pode acabar se machucando e colocando a saúde em risco. 

Sobre o autor

Anderson Mafra

Anderson Mafra

Jornalista apaixonado por animais, comunicação, música e não perde um concurso cultural (na verdade já perdeu vários). Curioso de mão cheia, quer saber sempre mais e compartilhar conteúdo, dicas e curiosidades do mundo pet. É um petlover assumido, sem chance de reabilitação.

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.