Fim de Ano Sem Estresse: saiba identificar se seu gato tem medo de fogos

Nós da Petlove nos preocupamos muito com o bem-estar dos bichinhos e por isso começamos no último mês a campanha “Fim de ano sem estresse”, que traz dicas sobre como cuidar de cachorros e gatos que têm medo de fogos de artifício, e ainda conta com descontos especiais em produtos que ajudam os peludinhos a começarem o novo ano numa boa.

Então, se este será o seu primeiro réveillon ao lado do seu gato ou você ainda não sabe muito bem como ele reage à queima de fogos, melhor antever como será a virada do dia 31 para o dia 1º e caprichar na prevenção.

Será que o meu gato tem medo de fogos?

A probabilidade do seu filho de quatro patas ficar amedrontado na hora do foguetório é bastante grande. Se nós, que já sabemos o que vai acontecer, levamos alguns sustos, imagine só o coitado do gato que não fica sabendo de nada?

Aproveite que você ainda tem quase dois meses antes da virada do ano e faça alguns testes em casa para observar a tolerância do gato em relação ao barulho. Não precisa fazer nada de estrondoso, é claro, até porque, se o seu pet for muito sensível a este tipo de situação, você pode até provocar uma crise de estresse que pode deixar marcas profundas no bichinho.

Comece cuidando do ambiente para o caso do bichinho entrar em pânico mesmo durante os testes. Feche portas e janelas da casa, deixe o caminho livre para que ele possa correr sem se machucar e deixe por perto e bem visível uma toca ou uma prateleira para o gato. Estes dois acessórios funcionam como uma espécie de “porto seguro” para o felino doméstico.

Feito isso, comece os testes fazendo barulhos com objetos da casa. Por exemplo, aumente aos poucos o volume da TV, bata panelas com força moderada ou toque instrumentos musicais percussivos para notar como o gato reage a esses sons mais altos. Caso perceba que o peludinho ficou muito agitado ou perturbado, pare imediatamente com os testes e deixe que ele se recomponha. Nunca continue fazendo barulho ou tente segurá-lo de maneira impositiva, deixe para os próximos dias as novas tentativas, sempre começando de maneira suave e aumento aos poucos o barulho observando atentamente como ele reage.

Se o seu pet agir normalmente, o premie com algo que ele goste. Pode ser um petisco, uma brincadeira ou até mesmo um carinho. Durante os testes, você pode também ir usando desses artifícios quando ele se mostra confortável. Evite premiar quando ele demonstrar medo, pois isso pode agravar o problema. 

Os testes são uma boa pedida, pois além de perceber o quão tolerante o gato é, você vai acostumando ele a entender que, apesar do susto, a balbúrdia sempre é passageira e tudo volta a ficar bem depois. Aproveite que estão rolando os jogos de futebol e em breve teremos eleições municipais – momentos nos quais são grandes as chances de rolar uma  queima de fogos – e observe como o seu gato reagirá a estas pequenas “amostras” do que virá no último dia de dezembro. Se o felino entrar em pânico, tente isolar ao máximo o barulho e não deixe de pedir ajuda a um médico veterinário, de preferência um que seja especializado em comportamento felino.

Neste post a gente dá dicas de como lidar com um gato assustado e você também fica por dentro de alguns produtos disponíveis no petshop online Petlove que podem te ajudar a manter o seu gato seguro nessas ocasiões. Para conferir a relação completa destes produtos (que estão com descontos especiais), acesse: petlove.com.br/colecao/fim-de-ano-sem-stress-petlove.

Sobre o autor

Anderson Mafra

Anderson Mafra

Jornalista apaixonado por animais, comunicação, música e não perde um concurso cultural (na verdade já perdeu vários). Curioso de mão cheia, quer saber sempre mais e compartilhar conteúdo, dicas e curiosidades do mundo pet. É um petlover assumido, sem chance de reabilitação.

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.