Infecções Causadas por Vermes em Cães e Gatos

Os animais de estimação são acometidos por uma ampla variedade de parasitas, os quais se instalam nos intestinos e nos pulmões, provocando grandes alterações no estado de saúde deles. Esses parasitas, vulgarmente conhecidos como lombrigas, são, na realidade, classificados como Helmintos e se dividem em dois principais grupos,  os Nematoides, que são vermes redondos (como as lombrigas), e os Cestodes, que são vermes achatados (como as tênias).

Algumas espécies desses parasitas helmintos podem infectar tanto os animais quanto os homens. Isso pode acontecer, por exemplo, através da ingestão de ovos ou larvas imaturas que atingem o estado adulto, se alimentam e se reproduzem dentro do intestino ou pulmão. Outra forma de contaminação que pode ocorrer é a transmissão materna, durante a gestação, e transcutânea, pela penetração e migração das larvas de nematoides pela pele.

Os vermes que podem parasitar os pulmões são extremamente específicos. Os cães podem ser acometidos por angiostrongilose, que é causada por Angiostrongylus vasorum, as formas adultas desse verme são encontradas no pulmão, dentro de artérias pulmonares e no coração. O cão é o hospedeiro definitivo e os intermediários são moluscos gastrópodes.

Em gatos, um exemplo de verme causador de infecção pulmonar é o Strongylus micrurus, o qual é responsável por causar uma pleuropneumonia gravíssima nos felinos. Tem um ciclo de vida com dois hospedeiros intermediários (pássaros e moluscos) e um definitivo, os gatos. A contaminação acontece quando ingerem o hospedeiro intermediário e disseminam o parasita através de ovos que contaminam o ambiente.

Os sintomas podem variar desde os mais comuns como uma tosse seca, até os mais graves como uma insuficiência cardíaca congestiva ou outros problemas no coração. Também podem acontecer problemas secundários à oxigenização de tecidos, como um cansaço extremo. Sempre quando se estiver com dúvidas a respeito da saúde do animalzinho, ou quando apresentar algum sintoma suspeito, é válido procurar o médico veterinário para um diagnóstico correto, bem como um tratamento direcionado. Como esses parasitas contaminam os hospedeiros por contaminação, a limpeza dos ambientes onde eles circulam é uma ótima ferramenta para prevenir a ocorrência de infecções.

O tratamento pode ser feito com princípios ativos como mebendazol e febendazol, em doses crescentes. Dependendo da intensidade da infestação, problemas podem acontecer em função dos parasitos mortos. A avaliação e acompanhamento do tratamento deve ser prescrita por um médico veterinário, para que essas reações, à presença dos vermes remanescentes, sejam cuidadas.

Sobre o autor

Dr. Marcio Waldman

Dr. Marcio Waldman

Medico veterinário, diretor e fundador do www.petlove.com.br. Formado em 1988 pela Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia da USP e pós graduado em latu sensu em odontologia veterinária, foi secretário geral da Anclivepa SP (associação nacional de clínicos veterinários de pequenos animais) e sócio fundador do Simpavet (sindicato patronal dos médicos veterinários). Atuou como clínico veterinário de pequenos animais de 1988 a 2005 em São Paulo, e em 2005 terminou a atividade na clinica para se dedicar exclusivamente ao Pet Love.

5 Comentários

  • Boa noite Dr. Marcio Waldman,

    Pedia a sua opinião por favor.
    Tenho um cão com 4 meses e está doente desde que o comprei, em principio estava com uma tosse forte e seca, levei o a uma clinica veterinária, e me disseram que ele tinha um infeção na traqueia, tomou durante 10 dias o maxilase, nada melhorou, iniciou um antibiotico+maxilase+outro subinflamatório 1/4 (este 4 dias) e o restante 10 dias, nada melhorou, a medica chega á conclusão que será uma tosse irritativa, queria dar a vacina porque dizia ela que era mais preocupante, não deixei, pois achava que a tosse não era irritativa, vinha dos pulmões e era forte, pedi que fizessem um RX resultado…uma infeção respiratória pulmonar e fez tb análises para se saber se era de origem infecioso ou por parasitas uma vez que ele um dia antes nas fezes saiu lombrigas…fiquei sem saber ao certo do resultado…porque as análises dá uma alteração no hemograma, mas pelo que a médica disse é mais provavel que seja de origem infeciosa.. a partir dai voltou a tomar um antibiotico forte + um antiinflamatorio durante 8 dias neste momento está a tomar um outro antibiotico mais fraquinho uma vez que o anterior antibiotico fez algum efeito uma vez que a mancha no pulmão diminui e pelo facto do cão ser ainda bébé. Estou como um tolo na ponte, perante todos este episódios acha que devo pedir uma segunda opinião? gostaria tb de saber da sua se possivel. Muito obrigada.

  • Boa noite. Estou preocupada com a minha cachorra. Ela é labradora, está com coriza, vomitou após a comida, está com respiração ofegante e antes disso tudo ela espirrou muito, o que pode ser?

  • Boa noite. Estou preocupada com a minha cachorra. Ela está com o nariz escorrendo, vomitou, está com respiração ofegante e antes disso tudo ela espirrou muito, o que pode ser?

  • Dr. Marcio,

    Tenho um pastor alemão que depois que mordeu um caramujo africano apresentou crise de falta de apetite, vômito e diarreia, depois de meses começou a ter crises convulsivas. Atualmente continua volta e meia a apresentar crises convulsivas mesmo tomando anticonvulsivantes. Fizemos um raio x que apresentou o laudo abaixo. Gostaria de saber, se pelo raio x podemos desconfiar de ser o angiostrongylus ou alguma outra verminose pulmonar.

    REGIÃO RADIOGRAFADA………. TÓRAX (invalid)
    INCIDÊNCIA………………. LATEROLATERAL DIREITA E ESQUERDA / VENTRODORSAL (invalid)
    Silhueta cardiovascular com forma e dimensões preservadas. (invalid)
    Imagem radiográfica que sugere preservação do espaço pleural e mediastinal.
    Campos pulmonares com boa radiotransparência.
    Espessamento de algumas paredes brônquicas – bronquite?
    Trajeto e lúmen traqueais preservados.
    Cavidade gástrica com conteúdo heterogêneo.
    Partes ósseas inclusas no estudo, sem alterações radiográficas.

    Grata,

    Iolanda

    • Ola Iolanda….fica super dificil sabermos…. o melhor é conversar com o seu veterinário de confiança. O laudo radiografico junto com o exame clinico completo, e se necessário outros exames laboratoriais, deve ajuda-lo bastante em saber se é um caso de angiostrongylus

Deixe um comentário