Intoxicação dos cães pelo chocolate

Todos já ouviram falar que o chocolate não deve ser oferecido aos animais, mas poucos sabem que os malefícios que o produto causa aos pets vão muito além de cáries que o açúcar nele contido pode provocar nos dentes. O chocolate possui um composto extremamente tóxico aos pets, denominado teobromina. A substância também é encontrada no café, porém com uma concentração bem menor. No chocolate ela atinge a proporção de aproximadamente 100 a 200 gramas em cada quilo do produto. O chocolate branco apresenta uma dosagem bem menor, cerca de 10% da existente no chocolate ao leite. Como é o cacau que possui teobromina em sua composição, quanto maior for sua concentração, maior o índice da substância. Outro problema presente no chocolate é a sua quantidade de gordura, que pode atrapalhar a fisiologia do pâncreas.

Intoxicação dos cães pelo chocolate - Petlove - O Maior Petshop Online do Brasil

Intoxicação dos Cães pelo Chocolate.

Após a ingestão, a teobromina é absorvida rapidamente pelo corpo, funcionando como um intenso estimulante do sistema nervoso e do coração, ocasionando graves arritmias nos cães. Os sintomas da intoxicação começam a aparecer de 8 a 12 horas após sua ingestão. Inicialmente, ocorre um aumento no consumo de água, seguido por vômito e diarreia, bem como dilatação abdominal, incômodo e agitação. O estado clínico pode se agravar ainda mais, evoluindo com poliúria, ataxia, taquicardia, aumento dos movimentos respiratórios, azulamento das mucosas por falta de oxigenação nos tecidos e hipertensão, por fim, atingindo um quadro de hipotensão, queda da temperatura corpórea, coma e morte.

O tratamento dessa intoxicação consiste em utilizar medicamentos para cães, a fim de manter as condições fisiológicas, até que toda a toxina seja eliminada do organismo, assim o animal fica internado sob supervisão constante até que o problema seja resolvido. Porém, além de difícil e demorado, as chances de recuperação são bem pequenas.

A ocorrência dos casos de intoxicação por chocolate aumentam no período da Páscoa e no Natal, quando ocorre um aumento no consumo do produto nas residências. A situação se torna perigosa porque os animais podem “furtar” essa guloseima e acabar adoecendo. É importante que o dono observe o local usado para guardar os doces, tomando providências para que os pets não tenha acesso a ele.

Desnecessário dizer que jamais o produto deve ser oferecido aos cães, mesmo que pareça ser praticamente impossível resistir à cara de “pidão” que eles fazem ao ver seus donos consumindo o produto.

Pensando na solução desse perigoso problema já existem empresas especializadas na produção de alimentos que imitam quase com perfeição não apenas os tradicionais chocolates, mas todo tipo de produto que costuma utilizá-lo na sua composição, como bolos e até mesmo panetones. São alimentos de ótima qualidade e totalmente livres de teobromina, de modo que podem ser consumidos pelos cãezinhos sem lhes oferecer problema nenhum. Uma ótima opção tanto para os pets quanto para seus donos, pois ambos poderão aproveitar os prazeres do chocolate, um na companhia do outro.

Sobre o autor

Bruno Oliveira

Deixe um comentário