Cadastre-se e ganhe 15% OFF na primeira compra!

Meu gato está agressivo comigo. O que devo fazer?

O comportamento agressivo de um gato em relação aos membros da família é muito comum, e tem um forte impacto negativo no bem-estar dos gatos e dos familiares. Infelizmente, muitos gatos que demonstram agressividade são devolvidos, abandonados, e na pior das hipóteses, até são eutanasiados.

A primeira etapa para compreender esse processo é entender quais são as motivações do gato para realizar o comportamento. Para isso, temos que entender que existem várias classificações para a agressividade. Vamos explicar aqui algumas delas:

Gato agressivo mostrando os dentes

Agressividade por comportamento predatório mal direcionado

É muito comum em gatos filhotes, que foram separados precocemente da mãe e da ninhada ou que foram criados sozinhos. Brincar para o gato significa caçar, e exercer esse comportamento predatório é de extrema importância para o bem-estar felino.

Mas para realizar esse comportamento, o gato precisa seguir alguns passos, conhecido como sequência predatória:

  1. Escolher e buscar uma presa no ambiente: um pássaro, rato, inseto etc.
  2. Abordar a presa: aqui ele pode perseguir a presa ou esperar ela sair de uma toca.
  3. Capturar a presa: geralmente eles capturam com as patas e também com a  boca.
  4. Matar a presa:  eles executam esse comportamento com patadas ou mordidas fatais.
  5. Manipular a presa morta: alguns gatos exibem esse comportamento, jogando a presa para cima por exemplo.
  6. E por último, comer a presa.

E o que tudo isso tem a ver com agressividade ao ser humano? 

Quando os gatos não são ensinados e direcionados desde filhotes a brincar corretamente com os brinquedos (varinhas, ratinhos, bolinhas), e principalmente quando os tutores utilizam as mãos ou alguma parte do corpo para realizar essa brincadeira, os gatos associam que a mão do tutor (como exemplo) é uma presa, e ele começa a querer caçar essa presa.

Enquanto o gato ainda é um filhotinho, a brincadeira pode parecer divertida, mas conforme ele vai crescendo e ganhando força, essa brincadeira pode se tornar perigosa.

Alguns gatos começam a perseguir as pernas dos tutores, outros atacam as mãos, braços e outras partes do corpo. Em muitos casos, as mordidas e arranhões são graves, levando os tutores a procurar ajuda médica emergencial.

Como agir então nessa situação?

Uma ampla análise do ambiente em que o gato vive, das relações sociais dele nesse ambiente e das suas necessidades comportamentais deve ser realizada por um profissional especialista em comportamento, para que ele possa orientar os tutores da maneira correta.  

Como medida preventiva, nunca devemos utilizar as mãos e braços para brincar com os gatos, e sempre utilizar brinquedos específicos para isso, como varinhas e ratinhos, e sempre buscando conhecer as preferências do gatinho. 

Agressividade induzida por carinho

Nem todos os gatos são igualmente tolerantes a serem acariciados. A agressão relacionada com acariciar pode ser muito desconcertante para os proprietários. 

Enquanto alguns gatos se recusam a ser acariciados desde o início da interação (eles não suportam nenhum carinho), outros acabam exigindo atenção, mas em seguida, mordem e fogem após uma certa quantidade de contato físico.

Isso acontece porque ser acariciado com as mãos, para o gato, pode ser desconfortável e ameaçador, e muitos não vão se sentir à vontade, já que não é uma forma natural deles receberem carinho. Mas como os gatos possuem histórias e personalidades diferentes, vamos encontrar sim gatos que amam ser acariciados. 

E como saber se meu gato não está gostando do carinho? 

Embora os ataques sejam geralmente descritos pelos tutores como imprevisíveis, os gatos podem apresentar mudanças sutis e rápidas em sua linguagem corporal antes da reação agressiva. Por exemplo, os gatos podem ficar tensos, girar e achatar as orelhas, fazer movimentos em forma de chicote com o rabo, mudar o corpo de posição etc. Por isso é muito importante para os humanos entender sobre linguagem corporal felina.

gato agressivo dentro de uma gaiola

E quando eu posso fazer carinho no meu gato? 

Apenas quando ele solicitar, quando ele se aproximar de você se esfregando e pedindo o carinho por exemplo. Mas mesmo assim, tome cuidado, pois os gatos geralmente preferem interações curtas e rápidas, ou seja, apenas uma “passadinha” de mão na cabeça dele, já pode ser o suficiente. 

Em casos mais graves, o carinho com as mãos, abraços, beijos é totalmente contraindicado, e outras formas de troca de afeto são sugeridas ao tutor, como chamar para uma brincadeira e até ensinar alguns comandos básicos de adestramento.  

Agressividade por dor ou algum problema médico

Gatos apresentando dor, coceira ou algum desconforto, podem apresentar agressividade como uma forma de mostrar para nós humanos que algo não está legal com ele. Algumas doenças hormonais (como o hipertireoidismo), doenças neurológicas, infecciosas e metabólicas podem estar relacionadas com o surgimento da agressividade, portanto sempre procure um Médico Veterinário de confiança. 

Compreender sobre as necessidades dos gatos e entender com detalhes o que é, e o que não é natural para eles, é a chave para uma relação harmoniosa e feliz entre gatos e seus tutores!!!

Compartilhe esta matéria!

Sobre o autor

Isabela Zitti

É Médica Veterinária Especializada em Comportamento Felino e com pós- graduação em Clínica Médica de Felinos. Possui 10 gatos ( 8 resgatados da rua) que são o amor da vida dela, e esse amor a fez dedicar-se exclusivamente ao atendimento comportamental de felinos.
Isabela possui várias certificações internacionais e realiza consultas, cursos e palestras por todo o país.

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.