Natação para Cães

Natação é um esporte completo, exercita muitos músculos e gasta energia, é bastante divertido para alguns cãezinhos, mas, para outros, o medo de entrar na piscina pode ser grande. É muito indicada para animais com displasia coxo-femoral, pois fortalece a musculatura sem ter o atrito com o chão, como ocorre na corrida, por exemplo. O Golden Retriever, o Labrador e o Cocker são algumas das raças que adoram nadar e certamente não se negarão a entrar na piscina, a não ser que algum trauma tenha ocorrido.

Todos os direitos reservados a hurstjewelry

Natação para Cães

Como em qualquer outra atividade nova a qual o cão seja submetido, essa deve ser feita aos poucos, principalmente se o animalzinho tiver medo de entrar na água. É importante ter cuidado para que ele não se traumatize, ele precisa ligar a natação a algo prazeroso e divertido. Nunca jogue o cão na piscina, pois a insegurança de se ver sem apoio para as patas faz com que o animal se desespere, fique ofegante e se afogue por não conseguir nadar.

As técnicas de jogar acessórios, como um brinquedo que o bichinho goste, e mandá-lo buscar, é uma das maneiras de levá-lo à piscina de forma agradável e descontraída. Se na primeira vez que entrar, tiver dificuldade em se posicionar para nadar, precisa ser ajudado com calma e cuidado. O ideal é que a piscina seja adequada, com escadas submersas e profundidade da água não muito alta, para que seja mais fácil e segura a adaptação do seu amiguinho.

Cães com medo de água precisam de mais cuidado e paciência. É interessante o uso de um colete salva-vidas para o cachorro, assim ele se sentirá mais seguro e com menos medo de se afogar, mas, mesmo assim, o animal deve ser levado até a piscina e entrar junto com o dono. O cãozinho deverá permanecer no colo e ser solto aos poucos, sempre com o colete, para que o bichinho vá se sentindo mais à vontade. Pouco a pouco ele ficará mais seguro, o procedimento deve ser repetido até que o animal já esteja mais feliz dentro da água, assim poderá nadar sozinho sem o colete.

No geral, não é recomendado que o animal fique mais que uma hora e meia dentro da água, principalmente se for clorada. E a atividade só deve ser feita mais que 3 vezes por semana em casos de orientação veterinária. É importante se atentar aos cuidados com a pele, mantendo uma observação diária, para identificar possíveis dermatites. Quando for levar o pet para a natação, tenha sempre disponível água para o cão beber e uma toalha para ser enxugado. A natação sem dúvida pode ser muito benéfica à saúde do seu amigo.

Sobre o autor

Dr. Marcio Waldman

Dr. Marcio Waldman

Medico veterinário, diretor e fundador do www.petlove.com.br. Formado em 1988 pela Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia da USP e pós graduado em latu sensu em odontologia veterinária, foi secretário geral da Anclivepa SP (associação nacional de clínicos veterinários de pequenos animais) e sócio fundador do Simpavet (sindicato patronal dos médicos veterinários). Atuou como clínico veterinário de pequenos animais de 1988 a 2005 em São Paulo, e em 2005 terminou a atividade na clinica para se dedicar exclusivamente ao Pet Love.

Deixe um comentário