Pais gastaram quase R$ 12 bilhões com saúde dos pets em 2018

Que o brasileiro tende a mimar e gastar muito com seus pets não é mais novidade. Não à toa, mesmo em meio à crise enfrentada por nosso País, este é um mercado que segue crescendo a cada ano. Segundo um estudo realizado pela Fundação Getúlio Vargas (FGV), no ano passado, gastamos R$ 11,9 bilhões com nossos animais.

De acordo com o levantamento feito pela Fundação para o Sindicato Nacional da Indústria de Produtos Pet (Sindan), os produtos que mais geraram vendas foram ectoparasiticidas (como antipulgas, por exemplo), com 31%, biológicos, com 18%, e terapêuticos (medicamentos, em geral), com 12%. Toda essa movimentação aponta um crescimento de 21% no total! 

Como esperado – por serem regiões com mais animais domésticos e pela renda per capita -, o Sudeste e Centro-Oeste tendem a gastar mais com seus pets, destinando quase 5% da renda familiar para seus cães, gatos, peixes, aves, répteis, roedores ou coelhos.

Cuidar da saúde e bem-estar dos pets é cada vez mais visto como algo fundamental. Além de tratar enfermidades, prevenir doenças também vem sendo visto como um ponto importante para a qualidade de vida e longevidade dos peludos. 

Sobre o autor

Jade Petronilho

Jade Petronilho

É jornalista por formação e comportamentalista veterinária por paixão. Desde criança é a "louca dos bichos", por isso resolveu estudar medicina veterinária, etologia e nutrição animal, mas ainda pretende, um dia, fazer zootecnia. Atualmente tem dois cachorros, dois gatos e 13 peixes, mas além de cães, gatos e peixes, também já foi tutora de um coelho, três periquitos, dois porcos da índia, dois pintinhos e três cabritos.

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.