Persa – principais doenças

Os gatos persas são os mais antigos na história dos felinos domésticos e também os mais queridinhos para a maioria dos gateiros de plantão. Eles possuem esse nome, pois vieram da Pérsia, que hoje em dia conhecemos como Irã. 

O comportamento desses gatinhos é bem tranquilo e se dão super bem com crianças e principalmente com os idosos. Porém, alguns cuidados devem ser tomados. Essa raça possui predisposição para muitas doenças e algumas delas estão relacionadas com o sistema respiratório, devido ao seu focinho achatado. A seguir, falaremos um pouco sobre algumas doenças que são bem comuns na raça Persa.

Síndrome de Chédiak-Higashi

Essa síndrome é rara e acontece de forma autossômica recessiva, ou seja, os pais devem ter o gene recessivo para a doença manifestar na prole. A característica principal da doença é o albinismo parcial ou total dos olhos e da pele, associado a uma disfunção plaquetária que ocasiona hemorragias, infecções recorrentes e, em alguns casos, o gato pode vir a óbito nos primeiros meses de vida.

Quando acometidos, os gatos tendem a ter sangramentos exacerbados após cirurgias e podem desenvolver hematomas em locais onde foram aplicadas injeções.

A síndrome de Chédiak-Higashi pode ser diagnosticada através de esfregaço sanguíneo, onde será analisada a presença de grânulos aumentados nos leucócitos. O tratamento é sintomático, ou seja, apenas os sintomas serão controlados.

Rim policístico

O rim policístico é o desenvolvimento de cistos na região renal, que caso não sejam tratados, podem crescer e se multiplicar, fazendo com que o rim perca a sua função fisiológica. Normalmente, a causa da síndrome é herança genética.

É fundamental que os gatos desta raça sejam monitorados por um médico veterinário desde filhotes, pois existem grandes chances de entrarem em colapso quando mais velhos (por volta dos oito anos de idade), vindo a óbito por problemas graves renais.

Testes feitos nos pais podem apontar a probabilidade dos filhotes virem a ter o problema, sendo indicado castrar todos os portadores de rins policísticos.

Problemas respiratórios – Braquicefalia

A braquicefalia está relacionada à anatomia do crânio, tanto em cães como nos gatos. Os persas sofrem com esse problema devido ao seu focinho super curto, o que resulta na sua dificuldade de respiração (reflete em seu comportamento extremamente tranquilo e para alguns “inativo”).

Esta condição ocasiona também doenças odontológicas, dificuldade na própria higienização e, em alguns casos, pode ocorrer ulceração na região dos olhos e focinho. Com esses problemas, o gato pode vir a ter desconfortos e dor (que pode ser de forma moderada ou grave).

Atenção: gatis idôneos e que se preocupam com a qualidade de vida dos pets costumam testar suas matrizes e padreadores. Converse com o criador de sua escolha a respeito antes de adquirir um filhote.  

Sobre o autor

Gabriela Azevedo

Gabriela Azevedo

Formada em design gráfico e cursando medicina veterinária, profissão que herdei paixão graças ao meu pai. Catlover e apaixonada pelos meus 6 gatinhos (Tchantcham, Drake, Josh, Marie, Maysa e Cara Preta -in memoriam- ♥) e pelos pets agregados que fazem parte da minha vida (todos os que encontro. bem doida dos bichos!).

Deixe um comentário

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.