Plantas comestíveis para gatos: como administrar

Se você tem um jardinzinho, provavelmente já viu seu gato mastigando algumas de suas plantinhas. Estranho? Não mesmo. Existem sim plantas comestíveis e os gatos amam! Por quê? Porque algumas ervas são calmantes e algumas ajudam a provocar vômitos para eliminar bolas de pelo.

Benefícios

Além de paladar mais agradável e um cheiro gostoso, algumas plantas têm efeitos anti inflamatórios para os miaus.

“Outras melhoram o trânsito intestinal e ajudam a emagrecer”, explica o veterinário José Mourinho.

Cuidados com plantas comestíveis

O médico veterinário também alerta para os riscos ligados ao excesso ou uso de plantas tóxicas.

“Os jardins são ótimos para gato, mas todas as plantas devem ser bem escolhidas”.

O consumo deve ser supervisionado para evitar exageros, mas acostumar o gato desde filhote também ajuda. No caso de gatos adultos, vasos são uma boa alternativa, pois é possível colocar e remover em horários controlados e sob supervisão.

Como escolher

Para garantir a segurança total do seu bichano na hora de lidar com plantas comestíveis e plantas tóxicas, é sempre bom consultar um veterinário. Aqui você pode conferir uma lista de plantas que podem intoxicar o seu miau e que você deve tomar cuidado na hora de colocar no seu jardim ou ao alcance de seus animais domésticos.

Além disso, é muito necessário escolher de acordo com o espaço disponível na casa, tempo para cuidar do jardim e a própria habilidade.

Além disso, é bom escolher as plantas que o seu gato mais gosta e, algumas vezes, as que ele mais precisa.

O médico veterinário José Mourinho também dá dicas de quais ele acha melhores: “Grama de alpiste, trigo ou aveia. Valeriana. Bambu ou girassóis para observar e explorar. As medicinais como erva cidreira, camomila e lavanda são ótimas também. E até alguns cactos para o gato se esfregar”.

Sobre o autor

Larissa Moreira

Larissa Moreira

Larissa tem quatro miaus: Câmara, Ação, Gravando e Clica Fora, está no quarto ano de jornalismo da Faculdade Cásper Líbero, é apaixonada pela língua alemã, livros de fantasia, chá de camomila e pelos seus quatro bebês (que já nem são mais bebês).

Deixe um comentário