Por que o sódio não é um problema grande para nossos pets?

O excesso de sal na dieta humana pode acarretar uma série de problemas de saúde. A falta dele, por outro lado, também pode ser ruim, sendo portanto indicado consumi-lo moderadamente. Doenças renais, hipertensão arterial e enfermidades cardiovasculares são normalmente apontadas como uma consequência do uso indiscriminado do sal no dia a dia.

Pensando no que o sal pode fazer com a nossa saúde, não é raro que a gente associe esses riscos também à alimentação dos nossos pets, mas a boa notícia é que o sódio não é um grande vilão para cachorros e gatos, a menos que eles já tenham alguma doença que exija sua restrição.

É comprovado, por diversos estudos, que os cachorros e gatos saudáveis toleram muito bem níveis elevados de sal. O sódio, inclusive, é essencial para a dieta deles, pois participa de processos celulares importantes para o bom funcionamento do organismo, além de colaborar nas contrações musculares (incluindo as do coração) e na manutenção de energia do corpo.

Algumas pesquisas mostram ainda que diferentes níveis de sódio na alimentação de pets não costumam interferir na pressão arterial de animais saudáveis, sendo que vários médicos veterinários defendem também que a restrição de sódio para cachorros ou gatos com pressão arterial elevada não muda – e nem piora – essa condição (algo bem diferente do que seria indicado para humanos com hipertensão).

Apesar de termos mesmo a tendência a achar que os parâmetros para seres humanos são iguais para animais, precisamos levar em conta que o metabolismo deles se difere do nosso em alguns aspectos, por isso “trabalha” de formas diferentes em algumas questões. Obviamente, o excesso de qualquer componente tende a ser prejudicial a longo prazo, mas diferentemente do que muitos pensam, a maioria das rações atualmente encontradas no mercado trabalha com níveis super adequados de sal/ sódio.

Sobre o autor

Jade Petronilho

Jade Petronilho

É jornalista por formação e comportamentalista veterinária por paixão. Desde criança é a "louca dos bichos", por isso resolveu estudar medicina veterinária, etologia e nutrição animal, mas ainda pretende, um dia, fazer zootecnia. Atualmente tem dois cachorros, dois gatos e 13 peixes, mas além de cães, gatos e peixes, também já foi tutora de um coelho, três periquitos, dois porcos da índia, dois pintinhos e três cabritos.

Deixe um comentário

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.