Três mitos sobre pulgas e carrapatos

Não sei você, mas eu não me recuso a ler um post sobre mitos e verdades 😂. Sério, é mais forte do que eu a curiosidade de poder aprender algo novo e interessante.

Se contigo é a mesma coisa e conteúdos sobre a saúde do seu pet também te interessam, então venha saber mais sobre estes famosos parasitas que há muito tempo a gente ouve falar, mas nem sempre dá a devida atenção e acaba subestimando o perigo que eles podem causar

Cachorro-antipulga-Petlove

1º mito: pet de cidade grande não pega pulga e carrapato

Infelizmente tem gente que acredita nessa balela. Como se os parasitas não pudessem fazer morada em cidades de grande movimento ou em locais que tenham mais asfalto do que plantas, flores e mato.

Eu poderia dar aqui inúmeros exemplos de locais tipicamente urbanos onde as pulgas e carrapatos adoram se instalar e ficam só esperando a oportunidade de “pegar uma carona” que vá lhe garantir o sustento e um abrigo quentinho, mas vou citar apenas três: praças, parques e canteiros floridos. Aposto que todo cachorro de cidade grande passa pelo menos uma vez na semana em por lugares como estes, não é mesmo?

Sem contar que, às vezes, a dupla indesejada pode chegar até aos cachorros numa espécie de “entrega em domicílio”, ou seja, uma pulga ou carrapato utiliza-se de um outro animal (ex.: outro pet, rato ou pombo) e aproveita o “carreto” para morar numa casa nova. Então, minha amiga e meu amigo, infelizmente, não há lugar 100% seguro.

2º mito: o problema é só no verão

Esta palavrinha “só” na oração é que põe tudo a perder. Realmente as incidências no verão aumentam bastante, mas não dá pra dizer que chegando o outono estão todos autorizados a deixar o antipulgas e carrapatos de lado, como se os parasitas “trabalhassem” só durante uma época do ano.

Segundo a Fiocruz, a multiplicação das pulgas no verão é mais comum porque elas preferem se reproduzir em ambientes com temperaturas entre 25 e 35ºC e a umidade entre 70 a 90%. 

Porém, veja só que interessante, é quando a temperatura está muito baixa que as pulgas procuram por lugares fechados e que forneçam calor. Ou seja, podemos dizer que, assim como no verão, é no inverno que os pets podem estar mais sujeitos a sofrer com picadas e coceiras – que podem trazer doenças.

3º mito: ainda bem que eles não picam a gente

Torço muito para que você não acredite que pulgas não picam humanos e mantenha em dia a prevenção do seu pet pelo bem de TODA a família. Só pra ter uma ideia do tamanho do problema que uma infestação de pulgas e carrapatos pode causar, só entre as pulgas são mais de 20 espécies diferentes no Brasil e quando a gente acha algumas delas em nosso pet, aquilo que conseguimos ver num primeiro momento representa apenas 5% do total dos parasitas presentes no local 😱.

Sobre os carrapatos, eu não preciso nem dizer que eles também não negam um sangue humano, né? Todo mundo tem um parente ou amigo que já foi vítima de uma picada. Cuidado especial com as crianças, que adoram se esconder em lugares abafados, rolar na grama e se jogar entre arbustos, porque elas são sempre vítimas em potencial.

Voltando aos pets, não deixe de fazer uso contínuo de um bom antipulgas e carrapatos. Procure ajuda de um médico veterinário para saber qual o produto mais indicado para o seu peludinho. Lembre-se que basta apenas um descuido para que os parasitas ataquem o animal e coloquem a saúde dele (e da família) em risco.

Mantendo os pets prevenidos e a casa limpa e arejada, você tem tudo para garantir que o assunto pulgas e carrapatos seja só motivo de curiosidade e nada de preocupações.

Sobre o autor

Anderson Mafra

Anderson Mafra

Jornalista apaixonado por animais, comunicação, música e não perde um concurso cultural (na verdade já perdeu vários). Curioso de mão cheia, quer saber sempre mais e compartilhar conteúdo, dicas e curiosidades do mundo pet. É um petlover assumido, sem chance de reabilitação.

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.