Quais as principais mudanças físicas em um pet idoso?

Uma dor nas costas aqui, outra dor no joelho ali, e assim por diante. A terceira idade é inevitável e chega para todo mundo, geralmente trazendo algumas dores e, às vezes, problemas de saúde acarretados pelo envelhecimento. É assim para nós e para os cães, que também não escapam de algumas mudanças físicas quando se tornam idosos.

A maior parte dessas alterações é considerada normal, porém, elas podem ser precavidas caso os pais humanos tenham conhecimento sobre o que pode vir a acontecer ainda quando o cão estiver mais novo, para que possam tomar os devidos cuidados.

Quais as principais mudanças físicas em um pet idoso?

Artrite

Esse é um dos problemas mais comum em cachorros que chegam à terceira idade, principalmente em raças de grande porte. Assim como em nós humanos, a artrite ocorre devido à inflamação de uma ou mais articulações e isso pode ocorrer por diversas causas. Esse é um problema que pode causar disfunções mínimas ou evidentes. Alguns podem sentir apenas um incômodo ao subir uma escada ou pular para pegar um petisco, enquanto outros podem se sentir dores intensas ao caminhar.

Perda de audição

A perda de audição pode acontecer em alguns cachorros na velhice. Esse é um problema que normalmente não pode ser revertido e, por essa razão, é preciso que os pais se adaptem à nova realidade, principalmente nas interações com o cachorro, que está mais sensível e já não pode mais ouvir os comandos.

Obesidade

O aumento de peso é algo comum em cachorros mais velhos graças ao desaceleramento do metabolismo, resultando em uma queima menor de calorias durante os dias. E para piorar, a disposição para praticar exercícios físicos também despenca e pode resultar em ganho de peso, caso os pais humanos não se atentem nesta questão.

Alteração na pelagem

Sim, é comum que os cães idosos sofram alterações na pelagem. Os pelos podem perder um pouco a cor e ficar em um tom mais grisalho, principalmente na região do focinho e ao redor dos olhos. A perda de brilho e maciez também pode acontecer, mas pode ser reparada com uma boa alimentação.

Doenças gengivais

Essa certamente é a mudança física mais comum em cachorros mais velhos. Para quem não sabe, estudos apontam que mais de 80% dos cães acima dos três anos de idade sofrem com doenças gengivais. E isso pode ser explicado devido à falta de atenção de muitos pais com a higiene oral do pet desde a infância.

Perda de visão

Por fim, alguns cachorros podem perder a visão conforme vão envelhecendo, geralmente acarretado por problemas oculares comuns na terceira idade, como catarata e atrofia progressiva da retina. Outras doenças também podem causar a cegueira antes mesmo de chegar à velhice, como alguns tipos de hemoparasitose, como a “doença do carrapato”.

Infelizmente, é possível perceber que os cachorros são capazes de sofrer com inúmeras mudanças físicas à medida que vão envelhecendo. Por sorte, há muito o que fazer para ajudá-los, e o primeiro passo para isso é entender sobre cada problema. Para isso, visite o nosso portal de doenças, que é a maior biblioteca de enfermidades veterinárias do País, e consulte sempre seu médico veterinário de confiança.

Sobre o autor

Gabriel Arruda

Gabriel Arruda

É estudante de Jornalismo, apaixonado por animais e esportes. Está sempre em busca de novos desafios, justamente pela curiosidade que o toma conta. Pai de um Beagle chamado Johnny, mais conhecido como "o Destruidor".

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.