Ração com transgênicos faz mal?

Não tem jeito, o assunto saúde vem crescendo a cada dia e com isso, as pessoas estão sempre buscando formas de se alimentar e alimentar seus pets da maneira mais saudável possível. Diante disso, muita gente passou a se perguntar: “Ração com transgênicos faz mal?

Com certeza você já deve ter lido nas embalagens de ração para cachorro ou gato a palavra “transgênico” ou ficou curioso para saber o que significa aquele “T” estampado no rótulo. Porém, por falta de informação, não é raro que algumas pessoas associem isso a algo ruim para a saúde do filho de quatro patas.

Ração com transgênicos faz mal?

 Ração com transgênicos faz mal ao cachorro ou gato?

Alimentos que possuem transgênicos são aqueles desenvolvidos em laboratórios por procedimentos de engenharia genética para aumentar a produtividade, tornar o alimento mais duradouro e resistente a pragas e evitar a necessidade de uso excessivo de agrotóxicos.

A princípio, muita gente, logo ao ler na embalagem ou saber que a ração possui transgênicos em sua composição já descarta a possibilidade de comprá-la. Mas, na verdade, uma ração modificada geneticamente não agride a saúde de um cachorro ou gato. Inclusive, a Organização das Nações Unidas para a Alimentação e Agricultura (FAO), juntamente com a Organização Mundial da Saúde (OMS), defende que alimentos com transgênicos não fazem mal à saúde, tanto de pessoas quanto de animais domésticos.

Existem estudos sobre o uso de transgênicos em alimentos que demonstraram vantagens, desde a diminuição do custo de produção até a maior digestibilidade de alguns compostos. Seja dito de passagem, algumas rações são alteradas para melhorar seu valor nutricional. Então, essa modificação genética tem sempre como objetivo principal melhorar o produto em algum aspecto.

Em entrevista à Petlove, a Dra. Brana Bonder, médica veterinária da Hill ‘s, explicou que, embora muitos afirmem que rações com transgênicos fazem mal aos pets, não há nada que comprove a questão. “Até o momento, não há estudos científicos que evidenciam que transgênicos fazem mal a cachorros e gatos. Ao contrário, eles mostram que os transgênicos liberados para comercialização são seguros para o meio ambiente e a saúde animal e humana”, disse.

A médica veterinária diz que esse “preconceito” por parte dos pais está diretamente relacionado à procura por alimentos humanos que não possuem adição de químicos. “Há uma maior busca hoje na alimentação humana por produtos que sejam considerados orgânicos e mais saudáveis. Entretanto, precisa-se entender que o processo de produção de alimentos para animais de estimação é diferente, além de que cães e gatos possuem demandas nutricionais específicas. E um ponto relevante que podemos destacar é que o Brasil é um dos maiores produtores de grãos transgênicos do mundo; com isso, os transgênicos estão no nosso dia a dia, embora muitas pessoas não se atentem a esse fato”, explica.

Sobre as famosas “fake news”, Brana destaca que é fundamental que os pais humanos busquem informações autênticas para oferecer uma melhor alimentação aos pets. “Não há evidência que transgênicos causem possíveis doenças. Por isso, acredito que é sempre necessário procurar fontes confiáveis de informação e as pessoas devem sempre checar o conteúdo lido exatamente pelo fato de muitas opiniões serem expressas na internet sem embasamento científico. Conversar com o médico veterinário de confiança também é fundamental, para tirar todas as dúvidas com relação à alimentação do pet”.

Lei da informação

Aqui no Brasil, existe o Decreto n° 4.689, de 24 de abril de 2003, que exige que todos os produtos, tanto para humanos quanto para pets, alterados geneticamente devem ser rotulados, para que o cliente saiba de fato como o alimento comprado foi produzido. Assim, para identificar um alimento com transgênico basta procurar um triângulo amarelo com a letra “T” estampada.

Sobre o autor

Gabriel Arruda

Gabriel Arruda

É Jornalista, apaixonado por pets e esportes. Está sempre em busca de novos desafios, justamente pela curiosidade que o toma conta. Pai de um Beagle chamado Johnny, mais conhecido como "o Destruidor".

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.