Rotavirose Canina

Rotavirose canina - Petlove - O Maior Petshop Online do Brasil

Rotavirose Canina.

Há diversos tipos dos chamados Rotavírus. Os que formam o grupo “A” são os mais importantes e estão mais presentes como causadores de diarreia neonatal em humanos e animais. As espécies mais afetadas são: macacos, bezerros, porcos, ratos, coelhos, cães e gatos. Nos cachorros, os Rotavírus são mais problemáticos e causam maiores danos a filhotes do que a adultos.

No Brasil, o número de casos confirmados de Rotavírus em cães é pequeno. Isso pode se dever ao fato de o número de casos clínicos serem raros, à maioria dos casos de cães infectados não apresentarem sinal clínico evidente, ou ainda, à difícil comprovação de que seja um dos agentes causadores da enfermidade. Essa dificuldade ocorre pelos custos dos exames e por serem poucos os lugares que os realizam. A transmissão de Rotavírus de cão para humanos já foi intensamente investigada, porém, não há comprovação efetiva de que realmente ocorra. Essa investigação é muito importante, pois tem a finalidade de identificar se um cão portador do vírus pode ser um disseminador da doença para os humanos.

O vírus produz alterações nas regiões do jejuno e íleo, do intestino delgado do pet, causando atrofia das vilosidades intestinais e presença de células similares às existentes nas criptas intestinais. Os sinais clínicos que podem ser encontrados são diarreia, apatia, anorexia e perda de peso. Por causa desses sintomas, a desidratação pode ocorrer de modo moderado ou intenso, dependendo de quanto tempo se leva até o atendimento e tratamento do bichinho. Como em qualquer tipo de diarreia, levar o animal ao médico veterinário o mais rápido possível é essencial para diagnóstico e tratamento.

O médico veterinário pode solicitar exames como hemograma, cultura e antibiograma, quando necessário. O tratamento se dá com a administração de fluidoterapia, calculada caso a caso, administração de antibióticos para evitar infecção bacteriana secundária, polivitamínicos e até mesmo antieméticos. O prognóstico é bom, desde que o animal seja levado a uma clínica logo no início da doença.

É importante ressaltar que há inúmeras causas de diarreia nos animais domésticos e todas merecem uma atenção grande por parte do dono. O socorro deve ser imediato, pois a desidratação severa pode levar o animal à morte. Uso de vermífugos, do modo indicado pelo veterinário, é essencial para manutenção da saúde gástrica do pet. Manter o sanitário para cães e o tapete higiênico sempre limpos é uma das maneiras de se evitar recontaminação, seja por microrganismos ou parasitas. Higiene, cuidado, carinho e socorro rápido garantem que o pet tenha uma ótima recuperação.

Sobre o autor

Bruno Oliveira

1 Comentário

  • Temos um Spitz Alemão Anão aqui na chácara que chegou a ser diagnosticado como portador do vírus.
    Fizemos todo o tratamento e felizmente ele está conosco até hoje!

    Dica muito valiosa, principalmente na atenção com os filhotes.

Deixe um comentário