Tabela de quantidade de ração para cães filhotes

Este post é pra chamar a atenção para um assunto muito importante: a tabela de quantidade de ração para cães filhotes! Sim, esqueça de vez aquela história que potinho sempre cheio de comida é o melhor jeito de deixar o pet bem alimentado.

Eu sei que esta prática ainda é bastante comum, mas é bom você saber que, quando não prestamos atenção na porção de ração que está sendo servida ao cachorro filhote, podemos colocar em risco o bem-estar e o desenvolvimento saudável do peludinho.

Cachorro filhote comendo

O motivo? Os cães, por instinto, comem mais do que precisam – é a natureza dizendo pra eles que é sempre melhor garantir uma “reserva”. Mas, quando a ingestão de alimento é maior do que o gasto de energia, abre-se caminho para o sobrepeso e para a obesidade, que podem facilitar a manifestação de muitas doenças.

O primeiro passo para nutrir bem o seu filho de quatro patas (de qualquer idade) é procurar ajuda profissional. Um médico veterinário ou zootecnista vão avaliar as necessidades do seu pet e indicar a medida certa diária que você deve oferecer ao animal para que ele permaneça bem alimentado.

Tabela de quantidade de ração para cães filhotes – não existe regra

Apesar das embalagens das rações trazerem uma tabela com as sugestões de consumo – de acordo com a idade e porte do cães – aquelas são informações que representam o que funciona bem para a média dos cachorros, ou seja, pra saber de verdade quanto o seu pet deve almoçar e jantar todos os dias, só mesmo conversando com quem estudou sobre o assunto.

Ah, e um detalhe que faz toda a diferença: esta tabela oferecida pelas marcas indicam a sugestão de porção que deve ser dada durante o dia todo e, ao contrário do que muitos pensam, não é referente a cada refeição. Isso merece ou não ser compartilhado com outros petlovers que você conhece, hein!?

Voltando a falar especificamente dos cães filhotes, uma nutrição balanceada e na quantidade certa vai deixar o seu peludinho no caminho certo para crescer com muita saúde e prevenido contra uma série de doenças. Aceita uma sugestão de mantra? Então, anote: saber o quanto serve é tão importante quanto o que se serve!

“Muitos gostam de ver o pote de ração sempre cheio, pois pensam que dessa forma estão mantendo os pets bem nutridos, principalmente quando são filhotes e naturalmente mais esfomeados. Mas, a longo prazo, isso é prejudicial, pois, além do risco de obesidade, o excesso de nutrientes pode causar problemas de saúde”, explica Raphaela Sylvestre, médica veterinária do nosso atendimento especializado em saúde e bem-estar, exclusivo para os Assinantes Petlove.

Não esqueça também que o acompanhamento nutricional precisa ser feito com o pet durante toda a vida, já que as necessidades do peludinho vão mudando ao longo do tempo e qualquer deficiência na dieta do cachorro pode deixar a saúde dele bastante vulnerável.

Ração seca, úmida, petiscos, alimentos naturais e tudo aquilo que for servido para o seu filho de quatro patas precisa ser pensado com muito cuidado. Por melhores e mais saudáveis que os alimentos sejam, é preciso segurar o impulso e lembrar da famosa frase atribuída ao antigo físico e médico suíço Paracelso: “A diferença entre o antídoto e o veneno está na dose”.

Quando falamos da nutrição de filhotes, tem um ponto extremamente relevante que você precisa ficar atento: como os filhotes de cachorro se desenvolvem rapidamente, é preciso mudar a quantidade de ração à medida que os meses passam. Essa quantidade vai variar de acordo com o porte, idade atual e tipo de alimento escolhido.

Compartilhe esta matéria!

Sobre o autor

Anderson Mafra

Jornalista apaixonado por animais, comunicação, música e que não perde um concurso cultural (na verdade já perdeu vários). Curioso de mão cheia, quer saber sempre mais e compartilhar conteúdo, dicas e curiosidades do mundo pet. É um petlover assumido, sem chance de reabilitação.

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.