Urolitíase em Cães

Urolitíase em cães é a formação de cálculos, que são as pedrinhas na bexiga, iguais as que os humanos também têm; possui esse nome porque as pedrinhas são tecnicamente chamadas de urólitos. A substância que frequentemente forma essas pedras é o oxalato de cálcio ou estruvite, e as raças mais predispostas a essa formação são os Shnauzers Miniatura e Standart, Poodles Miniatura e Yorkshire Terrier e, em aproximadamente 70% dos casos com diagnósticos confirmados, os animais são machos.

As pedrinhas vão sendo formadas pouco a pouco e podem ficar bastante grandes, dependendo da quantidade de mineral que é depositada. São estruturadas quando, no organismo, os índices de cálcio, oxalato, ou ácido úrico estão muito altos. Isso acontece quando a dieta não está totalmente adequada às necessidades do animal, quando tem dificuldade de metabolizar algumas substancias ou, principalmente, quando a ingestão de água feita pelo animal é baixa. Pensando nisso, uma boa maneira de prevenir o pet contra a urolitíase, é deixar a sua disposição água fresquinha e oferecer ração super premium, que é a melhor opção no que se trata de alimento balanceado com qualidade para os pets.

Quando os cálculos estão sendo formados, dificilmente algum sinal clínico será notado pelo proprietário. No geral, quando o proprietário notar, é porque o bichinho já não está conseguindo mais urinar, pois o cálculo obstrui a uretra. Se isso for notado, nenhum medicamento deve ser dado e o animal deve ser encaminhado ao médico veterinário com urgência, pois o caso é bastante grave.

Em exames como hemograma e ultrassom, o veterinário poderá notar que a bexiga está bastante cheia e, por isso, será necessário passar uma sonda uretral para tentar desobstruí-la. Em alguns casos, a passagem da sonda tem sucesso e a desobstrução ocorre bem, já em outros casos pode não dar muito certo. Quando não consegue tirar a pedrinha e a bexiga está muito cheia, uma punção pode ser necessária, procedimento que é bastante arriscado e só é usado quando não há outro recurso. Ou também existe a possibilidade de retirar as pedrinhas com um procedimento cirúrgico, sendo bastante delicado e indicado somente em casos muito urgentes.

O tratamento se dá pela retirada das pedrinhas, adequação da alimentação, melhora do fornecimento de água ao animal e acompanhamento médico veterinário frequente. Em alguns casos, a administração de antibióticos pode ser necessária, para evitar ou tratar uma cistite, primária ou secundária. Alimentação balanceada, hidratação adequada, exercícios físicos, passeios, brincadeiras, exames periódicos e vacinas em dia podem evitar essa e outras doenças e garantir a saúde do cãozinho.

Sobre o autor

Dr. Marcio Waldman

Dr. Marcio Waldman

Medico veterinário, diretor e fundador do www.petlove.com.br. Formado em 1988 pela Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia da USP e pós graduado em latu sensu em odontologia veterinária, foi secretário geral da Anclivepa SP (associação nacional de clínicos veterinários de pequenos animais) e sócio fundador do Simpavet (sindicato patronal dos médicos veterinários). Atuou como clínico veterinário de pequenos animais de 1988 a 2005 em São Paulo, e em 2005 terminou a atividade na clinica para se dedicar exclusivamente ao Pet Love.

Deixe um comentário