20 dicas para os cães curtirem o calor com segurança

cachorro calor

O verão está chegando. Com ele, chega, também, mais atividades em parques, na rua, fora de casa e, que delícia, período de férias para muitos! É uma ótima oportunidade para levar os cães para atividades ao ar livre.

Mas este período pede alguns cuidados especiais. Conheça 20 dicas para curtir seu cão neste verão com muita segurança e bem-estar:

Sol

  1. Não passeie em horários de sol forte (entre 10h e 16h) quando, tanto o ambiente quanto o chão, estão muito quentes. Nestes horários, é real o risco de o cão queimar as patas (coxim) ao andar no asfalto ou calçada (mesmo para curtos passeios).
  2. O raio do sol que incide sobre o cão é tão prejudicial quanto ao raio de sol que reflete no chão e incide no cão. Pense nisto.
  3. Cães com focinho curto sofrem ainda mais com os dias quentes, pois a troca de ar para regular a temperatura é prejudicada pela sua anatomia. Passeie, com ambos, apenas nos horários mais frescos.
  4. Garanta água fresca em abundância, tanto durante os passeios, quanto em casa.

passear com o cachorro no calor

Água

  1. Cuidado com as primeiras vezes do cão em contato com o mar, pois ele pode se sentir desconfortável com a novidade (barulho, movimentação das ondas, espuma da água, muitas pessoas por perto, etc.).
  2. Não force o cão a nadar por longas distâncias se ele não estiver acostumado. Atividade física num novo ambiente precisa ser prazerosa e não um suplício.
  3. Na piscina, garanta que ele consiga sair da água para evitar problemas caso entre sem supervisão humana. Certifique-se se há escada ou rampa de fácil e livre acesso.
  4. O acúmulo de sal do mar ou cloro da piscina pode ser irritante à pele do seu cão. Assim, o excesso deve ser removido com água doce.
  5. Seque o cão após atividades aquáticas para evitar fungos e outras dermatites.

cachorro piscina

Terra

  1. Escove diariamente o pelo do seu cão quando ele tiver contato com areia e terra. O acúmulo de areia da praia ou terra do campo na pele do cão pode ser irritante e seu excesso deve ser removido.

Pelos e pele

  1. Atividades ao ar livre expõem o cão ao vento, água do mar, piscina, areia, grama, etc. Desta forma, é importante ter atenção especial para minimizar os efeitos do acúmulo de areia, sal do mar, cloro da piscina, terra, etc.
  2. Assim, dê banhos regulares e realize escovação diária.
  3. Pelos longos merecem cuidados maiores, pois o risco de embaraçar é maior, comparando com os pelos curtos. Mas ambos os casos merecem atenção redobrada após atividades ao ar livre.
  4. Proteja com bloqueador solar áreas claras ou sem pigmentação. O risco de câncer de pele é real.
O focinho é um dos lugares que merecem atenção especial no calor. Aposte no protetor solar e proteja seu pet

O focinho é um dos lugares que merecem atenção especial no calor. Aposte no protetor solar e proteja seu pet

Doenças típicas

  1. Atenção especial à prevenção contra pulgas e carrapatos, pois áreas ao ar livre podem receber outros cães e outras espécies (como cavalos ou animais nativos, por exemplo), aumentando-se o risco de infestação.
  2. Observe casos de diarreia e vômitos (provenientes de viroses ou ingestão de água do mar ou da piscina, com cloro). Ambos os casos devem ser tratados pelo médico veterinário.

Carro

  1. Em qualquer estação, mas pior ainda no verão, NÃO deixe seu cão dentro do carro com os vidros fechados e sem ventilação. Aquela rápida ‘corridinha’ até o mercado pode ser fatal. O cão produz calor, o ambiente externo produz calor, não há troca de ar que está dentro do carro e a consequência, caso a situação fique crítica dentro do carro, é fatal.
  2. Em viagens longas, vale realizar paradas periódicas para seu amigo esticar as pernas, hidratar-se e fazer suas necessidades.

Veterinário

  1. Antes de pegar a estrada com seu cão, leve-o para uma consulta com seu médico veterinário de confiança.
  2. Algumas regiões do país precisam que o cão esteja protegido contra certas doenças. Aproveite esta consulta veterinária, atualize a carteirinha de vacinação do seu amigo e viaje com segurança.

Atividades ao ar livre são importantes durante toda época do ano, mas o calor, sol e férias podem ser grandes atrativos para interagir ainda mais com seu cão fora de casa. As questões acima são facilmente contornáveis e não devem ser empecilhos para o sedentarismo ou motivos para deixar seu amigo em casa.

Aproveite que é muito gostoso dar uma voltinha e leve seu cão junto: com água fresca disponível, em horários frescos, protegido contra pulgas e carrapatos, com atividades seguras no mar e na piscina e sejam felizes, juntos. 🙂

 

Sobre o autor

Renato Zanetti

Renato Zanetti

Zootecnista da Dog Solution®, um Centro de Convivência Canina® que utiliza o enriquecimento ambiental como forma de equilíbrio e bem-estar de cães urbanos. Após 35 mil horas de observação e prática, desenvolveu o Conceito Dog Solution de Bem-Estar Animal®, baseado na tríade Ciência, Pessoas & Ambiente.
www.dogsolution.com.br
www.facebook.com/dogsolution
contato@dogsolution.com.br
(11) 2384-7551

8 Comentários

  • Bomm dia
    Tenho um amiguinho dá raça Cokie Speniel macho, ele tá com 5 meses e tem ficado bem sem vergonha fazendo saliência na perna dos donos e também com as almofadas.
    Gostaria de saber qual a idade pra ele tá cruzando e si procriando???

  • Olá Renato, sou marinheira de primeira viagem e tenho um basenji de 3 1/2 meses, Lacan, e como moro em Salvador, acho que a praia será um bom programa de fazer com ele…

    Achei legal suas indicaçoes, mas fico preocupada com otite por conta da água…tem problemas levá-lo à praia? algum cuidado especial? grata e parabéns pelo seu trabalho!

  • Oi Renato, adoro suas dicas e tento acompanhar e aplicar da melhor maneira. Estamos com uma viralatinha de york com shitsu, com três meses e meio, chamada Babi. É muito fofa e estamos aplicando várias técnicas de treinamento e condicionamento para viver em apê. A maioria já está funcionando.
    O problema que estou enfrentando é que ela é muito arisca a contato físico. Não gosta de colo, não fica parada para pentear nem para o banho, fica agitada e mordendo. Colocar a coleira é uma batalha, justo agora que vamos começar os passeios. Será que pode ser algum trauma ou problema de comportamento? Tem alguma orientação de como devo proceder?
    Obrigada.

    • Olá, Sandra.

      Por aqui (via texto), consigo te ajudar muito pouco. De forma rápida, é necessário criar uma associação positiva entre esta série de ações e as reações que ela demonstra.

      Perceba que algumas coisas não são legais para cães, como ‘ser abraçado’, ‘ser penteado’, etc. São comportamentos que não fazem parte do repertório natural dos cães. Se querem isto, é necessário criar uma associação bacana.

      Há cães que toleram mais contatos físicos. Outros, menos 🙁 Igual nós, humanos.

      O que sugiro é: neste período, buscar apoio de um profissional que possa te orientar presencialmente. Sugiro alguém que trabalhe exclusivamente com reforços positivos (nada de estímulos aversivos, como borrifadas de água, latinhas barulhentas ou trancos em guia).

      Por aqui, consigo ajudar desta forma 🙁 Espero ter colaborado de alguma forma.

      Grande abraço, Renato Zanetti

    • Olá, Fred. Que legal que gostou e utilizará as dicas. 🙂 Vi o Bóris lá no site! Lindão! Felicidades com seu amigo e bom verão para vocês.

      Abs, Renato Zanetti

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.