Bicho-de-Pé em Animais

A Tunga penetrans é uma pulga, popularmente conhecida como bicho de pé. Esse bichinho apenas causa a enfermidade quando fêmea, que, quando precisa de uma alimentação mais específica para se desenvolver e botar os ovos, penetra na pele íntegra. A lesão causada se desenvolve como um ponto inflamado, alto, dolorido, inchado e bem delimitado, muitas vezes com um ponto escuro no centro. Tanto o animal ou ser humano acometido, sentem uma dor localizada e coceira extrema.

A tungíase – o nome técnico dado às infestações pelas pulgas do bicho de pé – é considerada endêmica em zonas rurais e ribeirinhas e pode ser um grave problema de saúde nos pets quando diversas lesões são desenvolvidas. As populações dessas pulgas ficam no chão de terra ou em locais com grande quantidade de detritos orgânicos, os pés são geralmente a parte mais atingida, pois é a parte mais próxima do chão, mas outras partes podem ser acometidas. Os animaizinhos com grande infestação podem sentir dores e dificuldade de locomoção além da coceira constante, essas lesões podem se servir de porta de entrada para infecções graves como o tétano, por exemplo.

Os seres humanos geralmente são acometidos quando andam nos locais infestados descalços, sendo assim, o simples hábito de usar sapatos apropriados pode diminuir a infestação de seres humanos radicalmente. No caso dos animais a prevenção já é mais complicada, os cães, gatos, porcos e bois podem ser infestados facilmente. Nos animais de produção, essa doença pode causar prejuízos econômicos, pois a dor irá atrapalhar a movimentação, e, consequentemente, a alimentação, com isso o rendimento do rebanho é reduzido.

Os bichos de estimação podem ser contaminados em zonas rurais e ribeirinhas, seja vivendo no local ou estando somente a passeio por pouco tempo. Em visitas a regiões rurais é muito importante se atentar ao comportamento do pet, e, ao notar sinais como dores, dificuldade de caminhar, lesões puntiformes nas patas ou entre os dedinhos que causem coceira extrema, procurar imediatamente um médico veterinário para o devido tratamento.

O tratamento para pele acometida consiste na remoção física dos parasitas. Pode haver a necessidade do uso de antibióticos, como no caso de alguma infecção bacteriana secundária a presença da pulga. A complementação do tratamento consiste na limpeza do ambiente que o animal frequenta, bem como na sua cama e cobertas, de forma a prevenir que aconteçam novas infestações.

Sobre o autor

Dr. Marcio Waldman

Dr. Marcio Waldman

Medico veterinário, diretor e fundador do www.petlove.com.br. Formado em 1988 pela Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia da USP e pós graduado em latu sensu em odontologia veterinária, foi secretário geral da Anclivepa SP (associação nacional de clínicos veterinários de pequenos animais) e sócio fundador do Simpavet (sindicato patronal dos médicos veterinários). Atuou como clínico veterinário de pequenos animais de 1988 a 2005 em São Paulo, e em 2005 terminou a atividade na clinica para se dedicar exclusivamente ao Pet Love.

9 Comentários

Deixe um comentário