Cães e as doenças de inverno

Com a chegada do inverno os cachorrinhos também precisam de maiores cuidados e de proteção. Afinal, também sofrem com o frio e até mesmo adoecem, podendo apresentar sintomas que fazem lembrar um resfriado humano como espirros, tosse, falta de apetite, febre e coriza. A esse quadro os médicos veterinários dão o nome de traqueobronquite infecciosa canina, “gripe canina” ou “tosse dos canis”, que pode surgir em qualquer época do ano, mas cuja incidência aumenta consideravelmente quando caem as temperaturas.

Cães e as Doenças de Inverno- Petlove - O Maior Petshop Online do Brasil

Cães e as Doenças de Inverno.

Algumas raças, como o  Malamute do Alaska, o São Bernardo e o Husky Siberiano possuem características que os fazem mais resistentes ao frio pelo fato de possuírem sub pelo mais denso e maior camada de gordura sob a pele, porém, as raças em geral requerem cuidados especiais nas épocas mais frias.

A primeira coisa a se fazer é impedir que o pet fique exposto ao frio. O animal precisa ter uma casinha ou um local fechado, no qual possa se abrigar da chuva e do vento. Se na cidade em que a pessoa mora ventar muito, é importante que a porta da casinha fique virada para um local protegido, como uma parede, que impeça a entrada do vento. É só deixá-la afastada da parede com um espaço suficiente por onde o cão consiga entrar. A casinha, preferencialmente, deve ficar em um local coberto para que não fique úmida, ou, muito menos, gelada.

Almofadas que sejam confortáveis e elevem o animal do chão frio são recomendadas, assim como cobertores e paninhos quentes para que se deitem e se aqueçam. Em locais mais frios e principalmente com animais de pelo mais curto, se faz necessário o uso de roupinhas de inverno para cães, feitas especialmente para aquecê-los e protegê-los. Se a região é de geada, há sapatinhos que podem proteger os pés de queimaduras pelo frio.

Evite o banho nesses dias e, quando for banhá-los, deve-se fazê-lo com água morna, secando-os imediatamente, por meio de um secador de cabelos, a fim de facilitar e agilizar o processo. Não é indicado que se exponha o pet ao ambiente, para passear, quando o dia estiver com temperaturas muito baixas. O ideal é esperar até o clima melhorar um pouco, para caminhar com o bichinho sem que ele sofra com o frio. O ideal é sair quando o sol já estiver forte o suficiente para aquecê-lo.

No inverno também é comum que tenham mais fome, então é adequado fornecer mais alimento (cerca de 20 a 30% a mais que o normal). Se o cão já estiver gordinho, pode-se consultar o médico veterinário para que ele escolha uma ração light, adequada ao pet. Cachorros de pelos longos devem ser escovados diariamente e a tosa a ser feita deve ser apenas a  higiênica, pois a pelagem constitui uma importante proteção para que ele suporte o clima mais severo. A tosa geral deve ser evitada em épocas de frio.

Dedicar carinho e atenção ao pet é muito importante e isso inclui, também, protegê-lo de ambientes de baixas temperaturas. Assim, ele se sentirá bem e permanecerá saudável por todo o ano.

Sobre o autor

Bruno Oliveira

1 Comentário

  • Veterinários me disseram que os cães trocam a temperatura apenas pela barriga e que não teria problema tosarem no inverno ou q o fato de terem pelo curto não o fariam sentir mais frio!!!!

Deixe um comentário