Carnaval: usar ou não fantasias nos pets?

Faltam poucos dias para a folia de Carnaval tomar conta do País. Quem tem pet e quer levar o filho de quatro patas para participar da brincadeira pode fantasiar o bichinho, mas é preciso ficar atento para que a diversão não se torne um problema.

Pet fantasia de Carnaval

Leve em consideração que a utilização de uma roupa ou acessório não é algo natural para os bichinhos e antes de se jogarem na farra, faça um teste para ver se o seu pet fica confortável com o modelito que você escolheu. 

Plumas, lantejoulas, glitter, purpurina e afins chamam bastante a atenção e deixam o Carnaval mais bonito e colorido, porém, podem representar um sério risco ao seu cachorro ou gatinho, pois são produtos tóxicos pra eles. Algumas marcas até disponibilizam opções exclusivas para os animais, mas é sempre bom falar com o médico veterinário da sua confiança antes.

Alguns pets são bem sensíveis e podem ter alergia ou intoxicação a qualquer produto ou composto químico, portanto, ao menor sinal de coceira, lambidas em excesso, vermelhidão na pele, irritação, inchaço, salivação ou vômitos e/ou diarreia pare imediatamente a curtição e leve o pet para uma consulta com um médico veterinário.

O risco não está só na fantasia

O trabalho não termina mesmo depois de você tomar todas as precauções para que a fantasia e/ ou adereço não incomode ou ofereça riscos ao seu filho de quatro patas. É necessário fazer uma avaliação completa do cenário para que o bichano não passe por nenhum perrengue.

Não deixe que a empolgação tome conta e reflita se realmente será uma boa ideia encarar a folia com o seu pet. Locais aglomerados, com alta temperatura e com a presença de pessoas que exageram na bebida dificilmente serão um ambiente que o seu bichano queria estar. Certifique-se que o local escolhido para curtir será propício para recebê-lo. Fuja dos blocos mais movimentados e prefira aqueles que são específicos para os animais. 

Que o uso de guia é obrigatório não precisamos nem falar, não é verdade? E mesmo que você queira só “dar uma passadinha” pelo bloco, não abra mão de passar o protetor solar no peludinho, de mantê-lo hidratado todo o tempo e de recolher toda sujeira que ele fizer.

Mantenha os olhos fixos no bichinho a todo momento para evitar que ele se machuque. Infelizmente, junto com a alegria, as festas de Carnaval também proporcionam riscos dos mais variados: levar um pisão, briga com outro animal, cacos de vidro no chão, intoxicação por meio de alimentos ou produtos, isso só pra ficar em alguns exemplos.

Seguindo essas orientações você e seu pet terão tudo para aproveitarem ao máximo o Carnaval. E se a Quarta-feira de Cinzas chegar trazendo só saudades, é sinal que a missão foi cumprida com sucesso!

Sobre o autor

Anderson Mafra

Anderson Mafra

Jornalista apaixonado por animais, comunicação, música e não perde um concurso cultural (na verdade já perdeu vários). Curioso de mão cheia, quer saber sempre mais e compartilhar conteúdo, dicas e curiosidades do mundo pet. É um petlover assumido, sem chance de reabilitação.

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.