Cadastre-se e ganhe 20% OFF na primeira assinatura!

Castrar um gato: quando é melhor?

Muitos pais e mães de gatos, principalmente aqueles que pegam os miaus quando ainda são bem filhotinhos têm essa dúvida. Na hora de castrar um gato, qual é a melhor idade? Se eu castrar um gato muito novo, ele pode ter problemas urinários? Reunimos essas questões para você saber a partir de quando é possível castrar um gato.

Mulher segurando um gato no colo e ao fundo um médico veterinário

Quando é melhor?

A maioria dos profissionais fala que a idade ideal para castrar um gato é entre seis e oito meses. Porém, apesar de ser um valor padrão que é utilizado como base, tudo depende do desenvolvimento do corpo do seu gato.

Por isso, a melhor coisa a se fazer é levar o seu gato em um médico veterinário para que ele possa avaliar se o seu animal está maduro o suficiente para ser castrado. E isso pode ser antes ou depois da data estipulada de seis meses que falamos anteriormente. Tudo vai depender da situação do seu gato.

Castrar um gato macho

Muito se questiona sobre o período ideal para castrar um gato macho porque acredita-se que isso pode comprometer o desenvolvimento do sistema urinário dele, que não estaria totalmente formado nos primeiros meses. De certa forma isso é verdade, precisamos mesmo esperar que todo o sistema urinário se desenvolva.

No entanto, acreditavam-se anteriormente que era necessário esperar nove meses para isso. Atualmente, sabemos que a partir dos cinco meses o gato já pode ter todo o sistema desenvolvido. Cada caso é um caso, como já falamos, por isso é melhor mesmo conferir com o seu médico veterinário.

Castrar um gato fêmea

Ver o período ideal para castrar uma gatinha é um pouco mais complicado. Para esse procedimento, existem dois momentos propícios: antes da puberdade, se a sua gatinha estiver pesando 2,5kg ou mais; ou depois do primeiro cio, quando ela estiver em anestro – quando não há sinais de manifestação de cio).

É possível, sim, castrar uma gata que está no cio. Porém, é muito mais complicado e envolve muito mais riscos do que uma operação normal. Portanto, esse período só deve ser considerado como última opção.

Compartilhe esta matéria!

Sobre o autor

Larissa Moreira

Larissa tem quatro miaus: Câmara, Ação, Gravando e Clica Fora, está no quarto ano de jornalismo da Faculdade Cásper Líbero, é apaixonada pela língua alemã, livros de fantasia, chá de camomila e pelos seus quatro bebês (que já nem são mais bebês).

3 Comentários

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.