Cinomose e todas doenças combatidas juntas – vacinação

A vacinação dos cães é a maneira mais eficaz para a prevenção de doenças infecciosas causadas por vírus ou bactérias. Além de proteger o animal de estimação, as vacinas também são importantes para proteger o dono, familiares e todas as pessoas que convivem com o animal. As zoonoses, doenças transmitidas dos animais ao homem, são perigosas e dentre elas destacamos Raiva, Leptospirose, Giardíase e Leishmaniose.

Por ser um procedimento de elevada importância para promover a Saúde Animal,  a vacinação somente deve ser realizada pelo Médico Veterinário. O processo de vacinação é conhecido como imunização e para que ocorra de maneira adequada o animal deve passar por uma avaliação clínica. Por meio de uma consulta o Veterinário irá verificar se o animal está vermifugado, saudável, sem a presença de ectoparasitas (pulgas ou carrapatos) e possui nutrição adequada. Além de recomendar o melhor momento para a vacinação, o Médico Veterinário também irá definir contra quais doenças o cão deve ser imunizado.

Cinomose e todas doenças combatidas juntas

Cinomose e todas doenças combatidas juntas.

 

 

 

 

 

 

A vacinação pode ser iniciada a partir de 45 dias de idade. Os cães devem receber 3 doses da vacina polivalente e 1 dose da vacina anti-rábica. A vacina polivalente protege o cão contra Parvovirose, Coronavirose, Cinomose, Adenovirose, Hepatite Infecciosa Canina, Parainfluenza e Leptospirose. Além dessas, o cão também pode ser vacinado contra Giardíase e Traqueobronquite Infecciosa. O esquema de vacinação pode variar de acordo com a região em que o animal vive e às doenças a que está mais exposto.

A Eurican® CHPLR, produzida pela Merial Saúde Animal Ltda, é uma polivacina que protege o cão contra Cinomose, Hepatite infecciosa, Parvovirose, Leptospirose e Raiva. A Eurican® CHPLR é ideal para a vacinação anual de animais bravos, agitados ou adultos, pois como possui a proteção contra a Raiva em sua fórmula, em uma única picada o cão recebe duas vacinas. Anualmente o animal deverá receber uma dose de reforço da vacina, de acordo com o calendário de vacinação.

A eficácia da vacina é influenciada pela saúde do animal e a vacinação de animais enfermos ou sob situações de estresse pode comprometer a eficácia da imunização. Outros fatores que podem comprometer a eficácia da vacina são seu estado conservação e a forma de aplicação. Após a vacinação o animal pode apresentar reações pós-vacinais ou efeitos colaterais, como febre, apatia, sonolência, falta de apetite e coceira no local da aplicação. No caso de qualquer sintoma o Médico Veterinário deve ser informado, pois cabe a ele o diagnóstico desses sintomas e, caso necessário, alguma intervenção.

Sobre o autor

Bruno Oliveira

Deixe um comentário