Cadastre-se e ganhe 20% OFF na primeira assinatura!

Com quantos meses o cachorro pode cruzar?

Muita gente acha que quando um filhotinho começa a ter o hábito de “cruzar” na perna das pessoas, significa que ele está apto para acasalar, mas acredite: uma coisa não tem nada a ver com a outra. Continue a leitura para saber com quantos meses o cachorro pode cruzar.

Cachorros filhotes (sejam machos ou fêmeas) podem desenvolver o hábito de querer “cruzar” em pessoas e objetos por quererem testar limites, demonstrarem dominância, e não por já poderem (ou quererem) acasalar. Verdade é que bastante gente ainda confunde muito os hábitos comportamentais dos pets, comumente errando na interpretação dos sinais que eles nos dão.

cachorro olhando para cima e sinais de interrogação ao fundo

Um cachorro macho só deve acasalar quando se tornar um adulto e isso varia de acordo com a raça. Cães de pequeno porte se desenvolvem mais cedo, enquanto os grandões demoram mais tempo para atingir a maturidade. Filhotes que cruzam por um descuido da sua família humana podem gerar descendentes mais fracos e até mesmo com problemas congênitos, pois seus espermatozoides não estão suficiente maduros.

Cadelas que têm crias quando muito jovens (antes do terceiro cio) podem ser “más mães”, sofrerem abortos com mais frequência e também gerarem filhotinhos com problemas de saúde e prematuros. Além disso, elas não estão aptas para cuidar da cria e normalmente largam os filhotes ou não dão o suporte que eles realmente necessitam.

Cachorros e cadelas só devem ser cruzados a partir de um planejamento, de modo que a decisão não seja tomada por impulso e nem baseada na falta de conhecimento. O acompanhamento de um médico veterinário durante todo o processo é fundamental. Isso deve iniciar antes dos cães cruzarem, com exames que confirmem que eles não possuem doenças genéticas e nem doenças sexualmente transmissíveis (sim, isso também existe no mundo canino!).

Pré-natal em cadelas

Também é um passo importante, assim como o monitoramento geral da saúde da mãe durante a gestação (ela deve receber alimentos específicos e em maior quantidade do que o habitual).

Ainda assim, a castração é uma das melhores alternativas quando você não deseja que seu pet tenha crias indesejadas. Cruzar apenas porque deseja ter descendentes do seu cão costuma nunca ser uma boa opção, normalmente resultando em más doações, abandono e maus tratos.

Compartilhe esta matéria!

Sobre o autor

Jade Petronilho

É jornalista por formação e comportamentalista veterinária por paixão. Desde criança é a "louca dos bichos", por isso resolveu estudar medicina veterinária, etologia e nutrição animal, mas ainda pretende, um dia, fazer zootecnia. Atualmente tem dois cachorros, três gatos e oito peixes, mas além de cães, gatos e peixes, também já foi tutora de um coelho, três periquitos, dois porcos da índia, dois pintinhos e três cabritos. Hoje, é Coordenadora de Conteúdo Veterinário da Petlove&Co.

24 Comentários

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.