Cuidados com os pets nas comemorações de fim de ano

Quando neste ano tivemos os jogos mundiais de futebol, fizemos um post e um vídeo sobre o quanto os fogos de artifício podem ser problemáticos para nossos pets. É muito comum que cães e gatos tenham medo e se assustem com os barulhos emitidos por esse tipo de produto, mas é nosso papel minimizar o desconforto e oferecer um pouco de bem-estar para eles.

Fugas e acidentes

Fugas e acidentes costumam acontecer especialmente no Ano Novo, quando as pessoas estão em um estado de euforia maior e os pets acabam ficando meio “perdidos” em meio a todo esse movimento. Descuidos com portões, janelas e portas são frequentes nessas ocasiões de festas e, por isso, o ideal é sempre mantê-los na segurança de onde moram.

Nos dias de comemoração, é indicado que deixe um canto especial para que o pet possa se recolher caso se sinta inseguro. Fazer uma espécie de “cabaninha” improvisada, onde ele pode se esconder, é uma ótima alternativa. Muitos cachorros e gatos gostam de se esconder e ficar mais quietos quando não se sentem bem.  

Permita que ele se esconda

Conforme dito antes, se seu pet quiser se esconder em algum lugar, deixe que ele o faça. Forçar uma situação só piora o contexto, fazendo às vezes com que se tornem até mesmo agressivos. Diferentemente do que muitos pensam, cachorros e gatos raramente sofrem infartos cardíacos, mas isso não quer dizer que não podem ter problemas graves por conta do estresse do momento.

Não é raro ouvir casos de óbito, seja por acidentes (como cortes em vidros, pulos de janelas ou brigas), seja por complicações devido às alterações decorrentes do pico de nervosismo gerado pelo barulho extremo e até mesmo pelas luzes emitidas.

Não o alimente em excesso

Evite dar muita comida e água para o seu pet antes do horário em que mais costumam soltar fogos de artifício. Com o estômago cheio e a agitação, alguns cachorros podem ter “torção gástrica”, uma condição emergencial em que o estômago dilatado se torce sobre seu próprio eixo, sendo necessária uma cirurgia rápida para tentar reverter o quadro. Episódios de vômitos e diarreia também são frequentes em casos de estresse.

Opte por uma refeição light ao final da tarde, independentemente se seu animalzinho é um cachorro ou um gato. A comida também costuma servir para distraí-lo durante a “virada”, mas se isso não for feito da maneira correta, reforçará ainda mais seu medo.

Uso de calmantes

Alguns pais de animais optam por usar calmantes, mas saiba que isso deve ser feito somente sob a orientação de um médico veterinário. Os produtos podem fazer efeitos diferentes dependendo da espécie, idade e tamanho do bichinho, portanto, não indicamos que sejam escolhidos a partir de indicações de leigos ou de forma aleatória.

Hoje em dia existem no mercado produtos diversos que vão desde homeopatia e florais até difusores anti-estresse e sedativos. Há, também, até mesmo petiscos com propriedades calmantes que podem funcionar muito bem para alguns cães e gatos.

Sobre o autor

Jade Petronilho

Jade Petronilho

É jornalista por formação e comportamentalista veterinária por paixão. Desde criança é a "louca dos bichos", por isso resolveu estudar medicina veterinária, etologia e nutrição animal, mas ainda pretende, um dia, fazer zootecnia. Atualmente tem dois cachorros, dois gatos e 13 peixes, mas além de cães, gatos e peixes, também já foi tutora de um coelho, três periquitos, dois porcos da índia, dois pintinhos e três cabritos.

Deixe um comentário

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.