Entenda porque cães pequenos podem ser mais bravos do que os maiores

O porte é pequeno, mas a coragem é do tamanho de um leão. Com certeza você já deve ter se deparado com um cãozinho bem afoito e com uma cara de poucos amigos nas ruas de sua cidade. Esse é um comportamento comum entre os baixinhos, mas pouca gente sabe o porquê deles agirem desta maneira.

Para tentar entender sobre essa conduta, é preciso pensar do ponto de vista de um cachorro pequeno. Imagine viver em um mundo onde você é um dos menores e que precisa viver com o pescoço levantado para enxergar outros seres. Difícil e aterrorizante, não é mesmo?

Entenda porque cães pequenos podem ser mais bravos do que os maiores

É comum – e engraçado – vermos cachorrinhos querendo enfrentar cães grandes enquanto passeiam pela coleira ao lado do pai humano, mas para eles pode ser algo intimidador. Isso acontece porque esses pets sofrem de uma espécie de complexo canino de inferioridade, o que os torna mais defensivos.

Síndrome do cachorro pequeno

Você já ouviu falar da síndrome do cachorro pequeno? Apesar de ser uma teoria, esse é o nome dado para o comportamento característico de raças de pequeno porte que são ferozes e autoritários no intuito de intimidar e não ser reprimido devido ao seu tamanho. Por mais que não haja nenhum estudo que comprove, boa parte dos cachorrinhos são mais tensos que os de médio e grande porte.

Alguns acreditam que a síndrome está ligada ao desleixo na educação do pet. Por ele ser pequeno, muitos pais não impõem liderança e tratam o cão como se fosse um “bebê”, isto é, um ser indefeso. Logo o cachorro percebe a falta de liderança dentro do lar e toma a responsabilidade de defender a família, passando a notar pessoas, objetos e outros pets como ameaças.

Entenda porque cães pequenos podem ser mais bravos do que os maiores

Como ajudar um cãozinho?

Seu cãozinho é bastante nervoso e reage de maneira negativa ao mundo ao seu redor? Saiba que nem tudo está perdido! Há algumas coisas que podem – e devem – ser feitas pelos pais humanos a fim de ajudar o pet a se sentir mais confortável.

A primeira delas é ensinar a ele que, independentemente do seu tamanho, as pessoas são inofensivas e não causam nenhum tipo de mal, muito pelo contrário. Faça com que ele aceite que outros humanos, além da família, entrem em seu espaço. Para isso, faça o seguinte exercício: se incline e dê ao pet com uma mão o petisco que ele mais gosta e o acaricie com a outra. Peça para as outras pessoas do lar repetirem o ato. Ao notar que cãozinho não reagiu de maneira agressiva, peça a alguns amigos que façam o mesmo em sua casa. Quando ele se acostumar a ser tocado por pessoas diferentes dentro do lar, repita o exercício com pessoas desconhecidas nas ruas. Lembre-se: pegue leve com o pet, afinal, qualidade é superior à quantidade.

Fazer um trabalho legal de socialização quando ele ainda é filhote pode ajudar – e muito – a fazer com que ele veja o mundo de uma forma diferente e entenda que não há motivos para temer (e menos ainda para agir de forma reativa).

Pets maiores

Se o seu peludinho estranha cães de médio e grande porte por aí, saiba que provavelmente ele se sente inseguro perto deles. Portanto, a ideia é fazer com que essa desconfiança se afaste do pet, e o reforço positivo é a melhor maneira. Durante um passeio, faça com que o peludo sinta-se a vontade, mesmo que hajam pets maiores ao redor. Quando um grandalhão estiver por perto, acaricie o seu peludinho e dê um petisco a ele. Isso o ajudará a entender que estar perto de cães maiores não faz mal algum. Jamais ofereça o petisco se ele estiver se comportamento de forma inadequada, rosnando ou mostrando os dentes, por exemplo, pois isso pode agravar o problema. 

É importante que os pais sempre defendam a segurança e o conforto dos cães. Entender os desejos e as necessidades deles é o caminho para acabar com comportamentos indesejados, além de ajudá-los a superar os desafios. Por mais que os peludinhos tenham muita coragem e disposição, o tamanho pode fazer com que vivam acanhados. Por isso, transmitir confiança é a melhor pedida!

Sobre o autor

Gabriel Arruda

Gabriel Arruda

É estudante de Jornalismo, apaixonado por animais e esportes. Está sempre em busca de novos desafios, justamente pela curiosidade que o toma conta. Pai de um Beagle chamado Johnny, mais conhecido como "o Destruidor".

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.