Erlichiose canina a doença do carrapato

carrapato causador a erlichiose e babesiose caninaErliquiose (ou Erlichiose) é uma doença infecciosa severa que acomete os cães, causada por bactérias do gênero Ehrlichia, sendo a principal a Ehrlichia canis. Raramente atinge gatos ou seres humanos, embora não seja impossível. É uma doença mais comum durante o verão, já que os carrapatos precisam de calor e umidade para se reproduzir. É comum confundir os sintomas da doença do carrapato com os sintomas da Cinomose, por isso é sempre importante consultar um veterinário assim que seu cachorro se mostrar apático, triste, prostrado e diferente do normal.

 

como se adquire a erlichioseComo meu cão pode pegar a doença?
A doença é transmitida de um cão contaminado para um cão sadio através do carrapato. O principal vetor é o carrapato marrom (Rhipicephalus sanguineus). O parasita irá infectar os glóbulos brancos do sangue, ou seja, as células de defesa do organismo do cão. O carrapato suga sangue de um cachorro contaminado e transmitem para outros cachorros que serão picados pelo carrapato contaminado.

 

 

 

Sintomas da Erliquiose
Os sintomas apresentados por um animal infectado dependem da reação do organismo à infecção. A Erliquiose pode ter três fases:

1. Fase aguda: onde o animal doente pode transmitir a doença e ainda é possível que se encontre carrapatos.
Febre, falta de apetite, perda de peso e uma certa tristeza podem surgir entre uma e três semanas após a infecção. O cão pode apresentar também sangramento nasal, urinário, vômitos, manchas avermelhadas na pele e dificuldades respiratórias. É importante estar sempre atento à saúde do animal. Normalmente o dono só percebe a doença na segunda fase, e assim como outras doenças, o diagnóstico precoce é fundamental para a recuperação.

2. Fase subclínica: pode durar de 6 a 10 semanas (sendo que alguns animais podem nela permanecer por um período maior)
O cachorro não mostra nenhum sintoma clínico, apenas alterações nos exames de sangue. Somente em alguns casos o cão pode apresentar sintomas como inchaço nas patas, perda de apetite, mucosas pálidas, sangramentos, cegueira, etc. Caso o sistema imune do animal não seja capaz de eliminar a bactéria, o animal poderá desenvolver a fase crônica da doença.

3. Fase crônica: 
Os sintomas são percebidos mais facilmente como perda de peso, abdômen sensível e dolorido, aumento do baço, do fígado e dos linfonodos, depressão, pequenas hemorragias, edemas nos membros e maior facilidade em adquirir outras infecções. A doença começa a assumir características de uma doença auto-imune, comprometendo o sistema imunológico. Geralmente o animal apresenta os mesmos sinais da fase aguda, porém atenuados, e com a presença de infecções secundárias tais como pneumonias, diarreias, problemas de pele etc. O animal pode também apresentar sangramentos crônicos devido ao baixo número de plaquetas (células responsáveis pela coagulação do sangue), ou cansaço e apatia devidos à anemia.

Como sei que meu cão está com Erliquiose?
O diagnóstico é difícil no início da infecção pois os sintomas são semelhantes a várias outras doenças, como a Cinomose, por exemplo. A presença do carrapato é relevante para a confirmação da suspeita durante a avaliação clínica. O diagnóstico pode ser feito através da visualização da bactéria em um esfregaço de sangue (exame que pode ser realizado na clínica veterinária) ou através de testes sorológicos mais sofisticados, realizados em laboratórios especializados. Quanto mais cedo for diagnosticada a doença, maiores são as chances de recuperação e cura.

Tratamento e cura
A Erliquiose é tratável em qualquer fase. O tratamento é feito à base de medicamentos, sobretudo os antibióticos (em especial a DOXICILINA). Por vezes é necessária a complementação do tratamento com soro ou transfusão de sangue, dependendo do estado do animal.

O tratamento pode durar de 21 dias (se iniciado na fase aguda) a 8 semanas (se iniciado na fase crônica). Vai depender da precocidade do diagnóstico, do quadro dos sintomas e a fase em que o animal se encontra no início do tratamento.

Quanto mais cedo se começa o tratamento, são maiores as chances de cura. Em cães nas fases iniciais da doença, observa-se melhora do quadro clínico após 24 a 48 horas do início do tratamento.

Como prevenir meu cão de ter a Doença do Carrapato?
– Verificar a presença de carrapato no cão com frequência; manter medidas adicionais de controle do carrapato como aplicação mensal de produtos anticarrapatos e de coleiras anti carrapatos.
– Desinfetar o ambiente onde o animal vive periodicamente;
– Usar produtos veterinários carrapaticidas como sabonetes, xampus etc;
– Manter a grama do jardim sempre curta;
– Estar atento aos hotéis para cães, pois se há algum cão infectado, ele poderá transmitir a doença através de outro carrapato do local.

Há vários produtos contra carrapatos. Os mais vendidos são o Frontline e o Scalibor – coleira anti carrapato. Frontline também protege de pulgas e Scalibor protege contra a Leishmaniose. A proteção mais completa oferece a combinação Scalibor com Frontline. Mas lembre-se, não medique seu cão sem consultar um médico veterinário. Só ele poderá saber o que é ideal para seu cachorro.

Lugares preferidos dos carrapatos no corpo do cão. Verifique sempre:
– Região das orelhas;
– Entre os dedos das patas;
– Próximo aos olhos, nuca e pescoço.

como arrancar um carrapato com segurança

como arrancar um carrapato com segurança

Encontrei um carrapato no meu cachorro. Como devo retirar?
Arrancar o carrapato não é recomendado. Pode acontecer de tirarmos só uma parte do corpo e o resto ficar ainda aderido ao cão, podendo provocar infecções. O ideal é aplicar umas gotas de vaselina ou parafina ao redor, esfregá-lo um momento até que amacie um pouco a pele e depois tentar retirá-lo suavemente. Depois, coloca-se o carrapato no álcool para que morra e não escapem os ovos. Lave as mãos depois de manipulá-los.

Existem também as pinças de carrapatos, que servem para extrair o parasita por inteiro. Encontram-se à venda em lojas especializadas de produtos veterinários.

 

Veja como retirar:

Remoção do carrapato

adaptado de http://www.tudosobrecachorros.com.br/2011/03/doenca-do-carrapato-erlichiose.html

Sobre o autor

Dr. Marcio Waldman

Dr. Marcio Waldman

Medico veterinário, diretor e fundador do www.petlove.com.br. Formado em 1988 pela Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia da USP e pós graduado em latu sensu em odontologia veterinária, foi secretário geral da Anclivepa SP (associação nacional de clínicos veterinários de pequenos animais) e sócio fundador do Simpavet (sindicato patronal dos médicos veterinários). Atuou como clínico veterinário de pequenos animais de 1988 a 2005 em São Paulo, e em 2005 terminou a atividade na clinica para se dedicar exclusivamente ao Pet Love.

6 Comentários

  • dr, meu cao foi diagnosticado com erlichiose ha um mes atras , iniciado o tratamento , mas a doença evoluiu quadro anemia profunda e nao tenho condicoes de realização de transfusao sanguinea , ele nao se alimenta , sugeriu se ate ele ter leishmaniose foi feito o teste rapido pelo governo deu positivo entao foi encaminhado para realizacao de teste no LACEN estou aguardando o resultado, enquanto isso ele esta sendo tratado com antibioticos para a erlichia , mas, nao se alimenta , esta bem debilitado, estou sem saber o que fazer, ja disseram que se for leishmaniose e associada a erlichiose o que tem a fazer e sacrifica lo, preciso de elucidaçoes a respeito pode me ajudar ????

  • Descobrir hj queque eu cachorro estar com essa doença, saiu o emograma dele. Estou super triste. Mais já vou começar o tratamento e fé Deus q ele logo logo ficará bom.

    • Ola Naiane. Boa sorte no tratamento, o importante é que seu veterinário acompanhe bem de perto o seu cachorro durante o tratamento. Ahhh…. e não se esqueça de prevenir carrapatos e pulgas pelo resto da vida do seu cachorro.

      • Boa tarde doutor Marcio minha cadela pug deu poditivo par erlichia porém a mesma esta gestante e a vet disse que nao pode comecar o tratamento com antibióticos agora pois afetaria a formação dos filhotes estou preocupado e por isto gostaria de uma segunda opinião e formas de tratamento

  • Meu cão teve está doença em março deste ano e agora neste momento voltou a crise o que fazer quatro meses depois dou estes remédios está sangrando.

    • Ola daniela

      Converse com seu veterinario sobre o tratamento e medidas para evitar novas contaminações por carrapatos. Siga as instruções do veterinario é muito importante para tirar o seu cachorro desse ciclo recurrente da doença.

Deixe um comentário