O que é um gato feral?

O nome é quase autoexplicativo, ou seja, gato feral é a denominação dada ao felino que não foi habituado à convivência com humanos e, por isso, tende a não tolerar um contato mais próximo. “Quer dizer que aqueles gatos que eu encontro na rua e que logo se arqueiam são gatos ferais”? Não é bem assim…

Nessa situação citada, provavelmente você se deparou com um gato mais arisco, que preocupado em sobreviver está se sentindo ameaçado pela sua presença, mas isso não significa que ele não possa conviver com uma família humana.

Gato-feral-Petlove

O gato feral nada mais é do que um gato que vive em estado selvagem, não dependendo de humanos para se alimentar/ sobreviver – mesmo que numa área urbana. Para facilitar o entendimento, pense nos gatos que um dia foram abandonados de suas casas, eles então passaram a ter que viver nas ruas e a depender exclusivamente dos seus instintos para comer e sobreviver.

Estes gatos logo deram origem a novas gerações que já nasceram sem contato ou convívio com humanos e, portanto, acabam se comportando como seus parentes de espécie maiores, por exemplo, onças, panteras e tigres. Este “estado primitivo” é o que justifica os gatos ferais serem mais hostis conosco (ou outros animais que representem perigo).

Quadro é reversível?

Dependendo do caso, é possível reverter essa situação, mas precisamos de muita dedicação, paciência, amor e empatia. Gatos que já são adultos e nunca tiveram contato com humanos podem não se aproximar nunca.

Isso porque a chance maior seria socializar um gato feral desde filhote – até os três meses de vida -, já que passado este período no qual ele está mais aberto para novas experiências, seus instintos já o incentivariam a nos temer e buscar uma vida sem vínculos com humanos.

Algumas das características desses gatos são formar colônias, procurar locais abandonados, como galpões, fábricas ou estações de trem e só circular à noite em busca de suas presas. Eles passam o dia escondidos justamente para ficarem mais protegidos e evitar a aproximação de pessoas.

Mas, atenção! Cuidado para não exagerar nos julgamentos, lembre-se que a maioria dos gatos que vive nas ruas não são ferais e podem tranquilamente ser adotados. Só pelo fato do peludinho circular durante o dia e manter certo contato com as pessoas já denota que talvez ele possa levar uma vida doméstica numa boa.

E se você está pensando em adotar, não esqueça de pedir ajuda a um médico veterinário para que ele avalie o estado de saúde do pet e leia este nosso post para caprichar na adaptação!

Sobre o autor

Anderson Mafra

Anderson Mafra

Jornalista apaixonado por animais, comunicação, música e não perde um concurso cultural (na verdade já perdeu vários). Curioso de mão cheia, quer saber sempre mais e compartilhar conteúdo, dicas e curiosidades do mundo pet. É um petlover assumido, sem chance de reabilitação.

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.