Nove entre Dez Cães Preferem Ossinhos Dingo

Há não muito tempo atrás, em uma galáxia não muito distante, viveu um cãozinho chamado Dingo. Dingo era um daqueles cachorros que chamamos carinhosamente de vira-latas, pois era uma mistura disso e daquilo e cheio de devoção e amor incondicional pelo seu dono, um homem chamado Les.

Nove entre Dez Cães Preferem Dingo - PetLove

Dingo era um cãozinho feliz e saudável, mas com um pequeno problema como o de muitos membros da família dos cachorros, ele adorava mastigar tudo o que via. Les era um homem muito paciente que entendia que os instintos de Dingo o levavam a querer mastigar, mas ele não gostava de ver seus sapatos, móveis e sabe-se lá o que mais mastigados aos pedaços. Dingo, assim como 50% da população canina, não gostava dos ossinhos de couro tradicionais disponíveis no mercado, pois não importava a marca que Les oferecia a Dingo, ele simplesmente os desprezava por achar que eram pseudo-ossinhos, sem gosto, pouco atrativos e sem cheiro.

Les sabia que os ossinhos de couro cru eram a melhor opção para satisfazer a necessidade que Dingo tinha de mastigar e morder, manter suas gengivas e dentes saudáveis e o hálito fresco. Mas o que fazer para torna-los atrativos para Dingo? Por uma ironia do destino, a esposa de Les trabalhava em uma empresa que produzia frango desidratado (chicken jerky) e Dingo adorava o sabor da carne e do frango dos pedaços que eram oferecidos por sua dona. Um dia, uma ideia ocorreu a Les. “E se eu conseguisse fazer um ossinho mastigável com um petisco?” Ele mergulhou um ossinho comum em um balde de água e o abriu. Então, ele recheou o ossinho com um pedaço de frango desidratado, deixando algumas pontas de fora para que Dingo visse e cheirasse. Dingo ficou enlouquecido com a novidade e comeu o ossinho de couro com o frango até o fim e com isso, os móveis, sapatos e outros bens da casa estavam seguros. A saúde dental de Dingo melhorava gradualmente, assim como seu “bafo de cachorro”. Foi amor à primeira mordida.

Les logo viu que tinha algo nas mãos. Já que ele não conseguia encontrar um ossinho de couro mastigável com carne de verdade no mercado, ele continuou fazendo mais para que o Dingo continuasse a ter o que mastigar, mas certamente outros cachorros iriam adorar esse ossinho também. Em 1997, Les desenvolveu seu produto com a ajuda de uma grande equipe e o patenteou mundialmente. E o nome para esse produto único e saboroso, exclusivo com carne de verdade no meio? Claro que foi escolhido o nome Dingo, afinal é uma homenagem justa ao inspirador do inovador produto.

Hoje, testes independentes mostram que nove entre dez cachorros preferem Dingo a outros ossinhos comuns do mercado. Portanto, ofereça o melhor e mais saboroso a seu amigo peludo. Ofereça sempre Dingo. Os ossinhos Dingo são feitos com ingredientes da mais alta qualidade e recheados com carne de verdade! Não é feito de vísceras ou outros enchimentos salgados e gordurosos, nada saudáveis como muitos no mercado. Além disso, o couro dos Ossinhos Dingo é de melhor qualidade e mais palatável. Dingo é registrado no Ministério de Agricultura e cumpre com as mais rigorosas normas de qualidade, higiene e saúde para que seu animal desfrute do melhor sempre!

História da Marca Dingo

A ideia de enrolar um pedaço de couro cru em carne desidratada já tem mais de 30 anos. Originalmente, o ossinho foi usado como brinquedo de entretenimento por conter o hábito instintivo de mastigar objetos que os cães possuem. Não existe outro produto que equilibre perfeitamente a resistência necessária para suportar o poder das mandíbulas caninas, aliado a suavidade que não machuca os dentes dos cães, sendo também altamente digerível. Com o advento das dietas modernas com rações mais macias, o hábito da mastigação nos cães se torna ainda mais importante, pois isso auxilia a limpeza e a saúde bucal de dentes e gengivas.

Nove entre Dez Cães Preferem Dingo - PetLove

O pedaço de couro cru funcionou muito bem durante muitos anos, mas 40% dos cachorros não se sentiam atraídos a mastigar o ossinho. Houve inúmeras tentativas para tornar o bom e velho ossinho de couro cru mais atrativo, incluindo plásticos sintéticos e polímeros substitutos que essencialmente eram sem gosto, sem cheiro, indigeríveis e extremamente sem graça para os amiguinhos de quatro patas.

Les então teve a ideia de incrementar o ossinho com uma tira desidratada de carne de verdade no meio do couro cru e foi sucesso para seu cãozinho Dingo. Les, com a ajuda de outras pessoas decidiu comercializar esse novo tipo de ossinho e o chamou de… DINGO!

O novo ossinho conseguiu satisfazer muito mais cães, enquanto que era muito mais benéficos por assegurar uma boa digestão para eles. Em 1997, Dingo Brands, LLC foi patenteada pelo processo mais lógico para incrementar os ossinhos já disponíveis no mercado há 30 anos, se tornando um produto que combina as vantagens da carne desidratada de verdade com a resistência do couro cru às mordidas caninas.

Você não precisa ser um grande conhecedor para saber que os cães irão sempre querer um ossinho atrás do outro simplesmente pelo seu sabor excelente, que já foi testado e comprovado. A companhia de pesquisa americana QMark Research and Polling concluiu que nove entre dez cães preferem Dingo como seu ossinho preferido.

Sobre o autor

Bruno Oliveira

Deixe um comentário